Hacker terá que pagar de volta 1 milhão de dólares em criptomoedas

António Guimarães
Comentar

Após uma investigação de dois anos, um hacker chamado Grant West será forçado a pagar 1 milhão de dólares em criptomoedas. Esta quantia será reembolso dos valores roubados a clientes de empresas como Uber, Sainsbury, Groupon, Argos, Nectar, Labdrokes e Coral Betting.

West operava através da sua caravana na Inglaterra, onde utilizou táticas de 'phishing' para recolher dados de utilizadores das empresas mencionadas. Os dados eram posteriormente vendidos no mercado negro virtual, as chamadas 'dark webs'.

O hacker foi tão longe ao ponto de entrar nos servidores da Sociedade Cardiovascular Britânica e recolher dados de forma ilegal. Além disso, West vendia ainda canábis e ensinava a outros como fazer ataques de phishing semelhantes.

West possuia dados pessoais de mais de 100 mil pessoas

O computador da namorada de West era a sua base de operações contendo milhares de dados. Durante a investigação, as autoridades encontraram um cartão SD com cerca de 63 mil informações bancárias diferentes. West utilizou esses dados para viajar e consumo próprio.

No final de tudo, a polícia confiscou ainda 25 mil dólares em canábis, além das criptomoedas. West está a encarar uma pena de 10 anos, após se declarar culpado pela maioria das acusações. As criptomoedas roubadas serão vendidas para reembolsar os lesados.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
António Guimarães
António Guimarães
Juntamente com os seus atuais companheiros Mi A2 e Surface Go, batalha para elucidar as massas sobre todos os acontecimentos da esfera tecnológica. "Informação é poder" é a frase que o acompanha diariamente. Talvez um dia a coloque numa t-shirt.