Google vai limitar o teclado Swiftkey ao Gmail se a aplicação não for atualizada

Filipe Alves
Comentar

A Google referiu aos utilizadores do teclado Swiftkey que a aplicação sofrerá limitações na aplicação Gmail se a Microsoft (dona do Swiftkey) não atualizar a sua aplicação até ao dia 15 de julho.

De acordo com a Google, o teclado Swiftkey não foi atualizado face as novas políticas de privacidade da Play Store e isso fará com que o teclado sofra sérias limitações nas suas aplicações.

Teclado Swiftkey

Swiftkey pedia para ler, enviar, editar e apagar emails no Gmail

De acordo com muitos utilizadores, uma das permissões do teclado Swiftkey foi a permissão para ler, enviar, editar e apagar emails no Gmail. Uma permissão séria que em nada estava relacionado com a utilização do teclado.

Ainda que "ler" os emails fosse plausível devido à "inteligência" e previsão do texto, editar, enviar e apagar em nada tem relacionado com esta funcionalidade.

Google não se pronunciou face o problema, Microsoft também não!

A Google não referiu em concreto quais as violações do teclado Swiftkey para que estas ações sejam tomadas. A Microsoft também não se exprimiu sobre o problema nem apontou datas para uma atualização que venha a cumprir com as novas diretrizes da Play Store.

Ou seja, estamos em "águas de bacalhau". Se a Microsoft não atualizar a aplicação até ao dia 15 de julho é possível que a aplicação deixe de funcionar no Gmail. Esta medida pode até ser alastrada para outros serviços Google. Ademais, é possível que a "inteligência" do Swiftkey venha a sofrer sem as interações que tem com a aplicação do Gmail.

Teremos de esperar para ver. A verdade é que não estou a imaginar a Google muito preocupada. Lembro que o Swiftkey é o maior concorrente do teclado Gboard.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.