Google patenteia smartwatch capaz de reconhecer se está ou não a ser usado

Carlos Oliveira
Comentar

A mais recente patente submetida pela Google dá-nos mais umas dicas de como poderá ser o seu primeiro smartwatch. Esta patente mostra que a tecnológica está preocupada com a exibição de informações mais sensíveis.

Para tal, a Google quer desenvolver um wearable capaz de reconhecer quando o utilizador estiver a usar o smartwatch. Quando isso suceder, serão apresentadas todas as informações como chamadas, mensagens, notificações, horas e tudo mais.

No caso do smartwatch estar pousado numa mesa ou assim, apenas serão apresentadas informações generalizadas como horas e previsão meteorológica. Assim, pretende-se impedir que qualquer pessoa tenha acesso aos nossos dados pessoais.

Isto não é uma novidade para os utilizadores de smartwatch, contudo, aponta-nos que a empresa está, de facto, a trabalhar no seu primeiro relógio inteligente.

Google smartwatch

Fica, no entanto, por esclarecer quais os métodos a serem usados para diferenciar estes cenários. De que forma será o smartwatch capaz de perceber se está a ser usado ou não?

Informações sensíveis terão de ser provenientes de outro dispositivo

A mesma patente descreve ainda que todas as informações sensíveis terão de ter origem num smartphone, computador ou mesmo um disco rígido. Isto pode ser uma dica de que a Google não tem intenções de desenvolver um smartwatch que funcione de forma independente.

No caso de este dispositivo suportar eSIM, por exemplo, seria possível realizar chamadas ou enviar mensagens sem a necessidade de um smartphone. Mas, nesse caso, a informação sensível teria origem no próprio smartwatch, o que iria contra uma das alíneas desta patente.

Isso, por si só, poderá ser um entrave ao sucesso do dispositivo. Numa altura em que são cada vez mais as propostas que funcionam de forma independente, não sabemos até que ponto o consumidor estaria interessado em comprar algo mais limitado.

Por outro lado, se a privacidade é um ponto de preocupação para ti, talvez esta abordagem possa ser mais vantajosa. Assim, terás a garantia de que ninguém terá acesso às tuas informações pessoais, em caso de estares distraído.

Comentar
Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.