Google paga aos órgãos de comunicação social na Austrália e acalma disputas

Rui Bacelar
Comentar

O governo australiano está empenhado em regular a distribuição de conteúdo noticioso através do motor de busca da Google. O esforço normativo levou a que a Google fizesse um autêntico ultimato à nação, ameaçando bloquear os seus serviços nesse país.

Agora, no entanto, um dos maiores grupos detentores de portais de notícias da Austrália, a Seven West Media, chega a acordo com a gigante das pesquisas de forma a garantir que o seu conteúdo é distribuído através do Google Notícias.

O governo quer que a Google pague às agências noticiosas da Austrália

Tal como aponta a agência Reuters, a Seven West Media foi a primeira grande empresa do setor a chegar a um acordo com a Google, evitando bloqueios e garantindo a distribuição dos seus conteúdo. É, contudo, apenas uma de várias empresas do setor.

Ao passo que as principais rivais como a News Corp e Nine Entertainment Co Holdings Lts não conseguiram chega a acordo com a gigante norte-americana, a Seven contraria as novas leis do país, já aprovadas pelos órgãos competentes na semana passada.

Para os demais grupos de notícias e grande media, as medidas do governo australiano dar-lhes-ão o respaldo legal necessário para exigir compensações financeiras ao motor de busca. No entanto, a Google já se mostrou contra esta imposição legal.

Em causa está a distribuição de notícias através do Google Notícias

Em sua defesa, a Google afirma que não apresenta as notícias completas no seu motor de busca. A empresa que apenas aponta as ligações, os links a partir dos quais o utilizador pode escolher a notícia / conteúdo a ler no respetivo website.

É aqui que entram as novas leis reguladoras do setor na Austrália. A Google seria obrigada a pagar aos media para apresentar os seus links no motor de busca, e mais concretamente na secção Google News. Algo que para a tecnológica seria contra os princípios da livre pesquisa e distribuição de informação, não da notícia, mas dos caminhos à disposição do utilizador para a ler.

Atualmente apenas as pequenas publicações e media especializados, ou regionais, chegaram a acordo com a tecnológica norte-americana, obtendo compensações para a apresentação dos seus links no motor de busca.

Atinge-se um gradual entendimento entra a Google e a comunicação social da Austrália

Australia's Seven West Media strikes partnership with Google; shares jump https://t.co/WkZnheeg4Q pic.twitter.com/PaJ9E0749s

— Reuters (@Reuters) 15 de fevereiro de 2021

"As negociações com a Google afirmam o valor da qualidade e do jornalismo original em todo o país e, em particular, à escala regional e nas regiões rurais", afirmou o responsável pela Seven West, Kerry Stokes em declarações à Reuters.

De igual modo, a responsável da Google afirmou que a empresa estava "orgulhosa por apoiar jornalismo original e de qualidade", apontou Mel Silva, após garantir as publicações da Seven na sua plataforma de notícias.

A atual letra da lei impõe que um negociador - defina as taxas a pagar aos media pela Google, sem que estas negociações possam ser feitas de forma privada.

Em síntese, seja através dos acordos individuais com a Google, ou mediante o negociador estatalmente definido, os órgãos de comunicação social da Austrália serão compensados pela gigante das pesquisa.

Fora da Austrália, a Google também firmou um acordo histórico em França.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.