Fundador da Wikipedia apela por uma greve de redes sociais

António Guimarães
Comentar

O Fundador da Wikipedia Larry Sanger está a pedir a todos os utilizadores de rede sociais que façam uma 'greve' no dia 4 e 5 de julho. A greve tem como objetivo boicotar as grandes empresas responsáveis pelas maiores redes sociais do planeta.

Sanger pretende que as empresas devolvam privacidade e controlo sobre os seus dados aos utilizadores. O fundador pede essencialmente um sistema de redes sociais descentralizado com mais poder para o utilizador.

Como funciona um sistema de redes sociais descentralizado

Atualmente, a maior queixa relacionada com redes sociais é a falta de transparência sobre a privacidade dos seus utilizadores. O Facebook, por exemplo, está constantemente a ser o centro de escândalos de fuga de dados.

Assim sendo, para Sanger, o sistema de redes sociais ideal daria controlo total ao utilizador dos seus dados podendo vê-los, modificá-los ou removê-los como quiser.

Sem dados como 'moeda de troca', as empresas de redes sociais seriam obrigadas a direcionar o valor do seu produto para a experiência de utilização, não para a quantidade de dados que consegue 'minar'.

Como uma greve de redes sociais pode afetar as empresas

Facebook, Instagram, Snapchat e outras redes sociais todas dependem dos seus utilizadores para se manterem sustentáveis. Um dia ou dois com uma descida considerável nos utilizadores ativos irá certamente prejudicar as métricas das empresas, por menor que o impacto seja.

Desinstalar as respectivas aplicações poderá ser uma maneira adicional de enviar uma mensagem. As redes sociais irão registar um número invulgar de desinstalações, chamando atenção ao problema.

Este assunto tem uma área moral 'cinzenta'

É verdade que podemos reclamar que as grandes empresas recolhem os nossos dados e fazem o que querem com os mesmos. Contudo, é importante salientar que nós é que escolhemos utilizar essas plataformas em primeiro lugar.

Um argumento muito popular é "quando entras na internet, abdicas da privacidade". O preço a pagar para termos acesso ilimitado ao Facebook e outras plataformas é a cedência de dados, posteriormente utilizada para gerar receitas à empresa.

Será este o melhor método de rentabilizar redes sociais? Será que o sistema que Sanger propõe resultaria? Diz-nos a tua opinião na caixa de comentários.

Comentar
António Guimarães
António Guimarães
Juntamente com os seus atuais companheiros Mi A2 e Surface Go, batalha para elucidar as massas sobre todos os acontecimentos da esfera tecnológica. "Informação é poder" é a frase que o acompanha diariamente. Talvez um dia a coloque numa t-shirt.