Esta será a maior inovação para os smartphones Android em 2022

Rui Bacelar
Comentar

O mercado mobile, à semelhança de outras indústrias, é pautado por tendências e inovações que as antecedem. Os últimos anos têm sido plenos de inovação em vários aspetos como, por exemplo, os ecrãs dos nossos smartphones e com a exceção da bateria.

A indústria tem-nos brindado com melhores ecrãs e uma tendência clara na redução das margens (bezels) para máximo aproveitamento do painel frontal, algo que viria a resultar na adoção do notch e, mais recentemente, no ecrã perfurado pela câmara frontal, o tipo punch-hole display.

Avizinha-se o fim dos ecrãs perfurados pela câmara frontal

Xiaomi Mi MIX 4
Aspeto sugerido para o smartphone Xiaomi Mi MIX 4.

À introdução do notch e posteriormente do ecrã perfurado pela câmara frontal subjaz uma mesma intenção. O aproveitamento máximo da área do painel frontal pelo ecrã. Chegamos, inclusive, a ter uma breve tendência em que as câmaras frontais estavam escondidas na estrutura do smartphone, sendo medidas por pequenos motores elétricos, as câmaras pop-up.

Almejando um mesmo fim, tal como o leitor de impressões digitais passou a estar embutido no ecrã, também a câmara frontal o poderá ser. Esta tecnologia é atualmente desenvolvida por várias fabricantes que estudam a melhor implementação possível.

Isto implica, por um lado, o desenvolvimento de novos tipos de ecrãs para acomodar uma porção semitransparente, bem como novos sensores de imagem. Atualmente a tecnologia não está pronta para dar resposta às necessidades de mercado, mas tampouco tardará a estar suficientemente madura.

Vemos, por exemplo, fabricantes como a Xiaomi a serem referidas por diversas ocasiões com este tipo de implementação, mas não é caso único. O anseio pela libertação total do ecrã motiva cada vez mais tecnológicas a dedicar tempo e recursos a este objetivo e, de acordo com os novos relatos, em 2022 serão uma visão comum.

A câmara fotográfica embutida no ecrã será uma visão comum em 2022

Smartphone Android
Aspeto sugerido para o smartphone Xiaomi Mi MIX 4.

A implementação perfeita. O ecrã pleno e livre de recortes, notches e outras distrações. Uma realidade que se aponta já para o próximo ano de 2022. Segundo os primeiros relatos, esta implementação não resultará num aumento da espessura do smartphone.

Isto permitirá às fabricantes explorar um novo design para os seus dispositivos móveis, dotando-os também de margens simétricas, ou pelo menos mais proporcionais. Para já, contudo, é necessário aperfeiçoar este novo tipo de sensores de imagem.

Algo que não estará a impedir a sua produção em massa. Com efeito, o prolífero leaker Digital Chat Station afirma que já existem duas grandes fabricantes destes componentes. A saber: Visionox e Huaxing Optoelectronics, duas empresas chinesas.

A mesma fonte sugere que a apresentação dos primeiros smartphones com a câmara frontal embutida ocorrerá no terceiro trimestre de 2021. De igual modo, a sua chegada ao mercado (lançamento) deve ocorrer durante o último trimestre.

O novo padrão de qualidade e design

Xiaomi

Ainda de acordo com o leaker, ambas as entidades chinesas estão focadas na qualidade e velocidade de produção. O intuito será colocar o máximo de sensores no mercado até ao final do ano, com o intuito de testar também a sua receção pelos consumidores.

Será uma primeira geração suscetível de melhorias e aperfeiçoamentos. Tal cenário estará já precavido pelas fabricantes, contando com um aumento de produção, procura e melhoria nestes sensores ao longo de 2022.

Portanto, teremos um novo padrão para o mercado mobile e uma das maiores inovações até à data. Já em jeito de curiosidade, esta implementação pode facilitar a produção de ecrãs uma vez que estes passam a assumir uma forma genérica e de fácil produção.

Note-se ainda que até ao momento os ecrãs assumem diferentes formas e contornos. Com cada fabricante a pedir um tipo de notch distinta, ou apenas com o recorte, ou recortes para a câmara fotográfica frontal, isto implica um maior esforço na cadeia de produção. Ao optar por um ecrã pleno, o seu formato facilitará a produção em massa dos mesmos.

A Xiaomi estará entre as primeiras a usar tal implementação

Por fim, entre as primeiras fabricantes a adotar esta tecnologia estará a Xiaomi. A empresa de Lei Jun já em 2020 mostrou uma tecnologia já na terceira geração de câmaras suscetíveis de serem embutidas no ecrã.

Tal tecnologia estaria pronta e madura o suficiente para entrar na fase de produção em massa, algo que estará agora em curso.

Em síntese, contamos com a apresentação dos primeiros smartphones com esta implementação ainda em 2021. Em 2022, contudo, deverão marcar o dealbar de uma nova tendência de design para todo o mercado de smartphones Android.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.