Elizabeth Warren quer derrubar Apple e Google

António Guimarães
10 Março, 2019

Elizabeth Warren será uma das candidatas à presidência dos Estados Unidos em 2020 e irá competir directamente com Donald Trump. Uma das suas medidas é um ataque às grandes empresas de tecnologia como Amazon, Google e Facebook.

Por alguma razão, Warren acredita que uma empresa como a Apple ou Google não deviam ter uma loja de aplicações gerida por eles próprios.

elizabeth

A senadora de Massachusetts afirma que as empresas não podem gerir a loja e distribuir as aplicações ao mesmo tempo. Provavelmente são os 25 mil milhões de dólares em receitas anuais motivam esta afirmação drástica por parte de Warren.

Warren quer proibir a Google e Apple de gerir as suas lojas de aplicações

Nesse sentido, Warren pretende legislar as empresas que oferecem lojas com mais de 25 mil milhões em receitas. As lojas passariam assim a ser conhecidas como "plataformas de utilidades".

"Estas empresas estariam proibidas de serem proprietárias da plataforma e dos utilizadores da mesma. Assim as novas plataformas iriam manter um padrão justo e não-discriminatório visto que estas não poderiam partilhar ou transferir dados com terceiros." Afirmou Warren.

Isto significa que a Amazon, por exemplo, não poderia vender a sua linha de produtos Amazon Basics na própria loja. A mesma coisa aconteceria com a Apple e Google que não poderiam distribuir as suas aplicações dentro das próprias lojas.

amazon google

Warren explicou com mais detalhe o porquê desta proposta. A senadora afirma que se uma empresa gere uma plataforma onde outros vendem, é uma vantagem injusta a própria empresa gestora poder vender os seus produtos.

A senadora norte-americana ainda acrescentou que estas empresas recolhem informação sobre todos os compradores e vendedores, podendo assim dar prioridade aos seus produtos para maximizar os lucros.

Parece que Elizabeth Warren é mais um membro do corpo político com intenções anti-capitalistas. A Amazon, Google e Apple mantém este sistema há anos e não é por isso que a concorrência deixa de existir.

É verdade que estas empresas são tecnológicas gigantes e tem vários negócios em todo o lado mas sendo criadores da plataforma faz todo o sentido que vendam e distribuam os seus produtos na mesma.

Editores 4gnews recomendam:

Fonte

António Guimarães
António Guimarães
Juntamente com os seus atuais companheiros Mi A2 e Surface Go, batalha para elucidar as massas sobre todos os acontecimentos da esfera tecnológica. "Informação é poder" é a frase que o acompanha diariamente. Talvez um dia a coloque numa t-shirt.

Mais na 4gnews

Google apresenta Stadia: Não é uma consola, é algo bem maior!
Nvidia revela uma tecnologia de edição de imagem que mais parece do futuro (vídeo)
Reparar o ecrã do Galaxy S10 custa quase tanto como comprar um novo
Free Fire: 6 curiosidades do jogo mais popular da Google Play Store
Vídeo de hands on do Galaxy Fold mostra vinco no ecrã
Vivo X27 e X27 Pro foram lançados e têm ecrãs fantásticos

Artigos que não podes perder

Como encontrar o telemóvel Android com a ajuda do Google
Como ligar o telemóvel à TV para ver conteúdos no "grande ecrã"
Os smartphones com os melhores processadores - Outubro 2018
Os 10 melhores telemóveis chineses a ter em atenção em 2018
RAM: dicas para comprar memória com a quantidade certa
Os melhores tablets e como escolher o modelo certo em 2018