E se pudesses ter um microchip de vacinação Covid-19 implantado no teu braço? (vídeo)

Mónica Marques
Comentar

A tecnologia de implantação de microchips por baixo da pele está em constante evolução e, nos tempos que correm, podem facilitar a vida a todos nós.

Agora uma startup sueca desenvolveu um microchip que contém o passaporte de vacinação contra a Covid-19 e até já o colocou sob a pele de alguns utilizadores.

Microchip contém o passaporte de vacinação contra a Covid-19 e pode ser lido através da tecnologia NFC

Microchip vacina covid 19
O microchip da Epicenter tem as dimensões de um grão de arroz Crédito@Ruptly/Epicenter

Chama-se Epicenter e é uma startup sueca que até agora permanecia desconhecida na maior parte do mundo. Mas a sua mais recente inovação pode permitir-lhe uma enorme visibilidade, a nível global.

A empresa desenvolveu um microchip que pode ser implantando sobre a pele de um utilizador e que contém todas as informações presentes no passaporte de vacinação contra a Covid-19. As informações aí presentes são lidas através da tecnologia NFC, à semelhança do que acontece com os atuais certificados de vacinação.

Microchip pode ser removido a qualquer momento num processo que não afeta a saúde do utilizador

O microchip tem as dimensões de um grão de arroz e pode ser implantado em dois locais distintos: ou no braço ou entre o indicador e o polegar da pessoa. A empresa garante também que, se necessário, pode remover a qualquer momento o microship, através de um processo que não é prejudicial para a saúde humana.

A Epicenter está igualmente confiante que o microship pode vir a tornar-se comum, até porque permite o armazenamento de vários tipos de informações, seja de saúde ou até mesmo funcionar como um cartão de atividade bancária.

Mas para já, o microchip não está a ser vendido. A empresa sueca apenas implantou algumas unidades com o objetivo de mostrar todas as potencialidades desta inovação.

Vídeo mostra como é feita a leitura do microchip sob a pele

E para mostrar como todo o processo é simples, a empresa partilhou no YouTube um vídeo que mostra o diretor de distribuição da Epicenter, Hannes Sjoblad, a aceder ao microchip com o seu smartphone.

Anteriormente, a startup Epicenter já tinha utilizado o seu microchip implantado em vários funcionários para tarefas tão simples como abrir portas e funcionar com impressoras. Mas parece que agora fez algumas alterações e tornou-o uma solução perfeita para um certificado de vacinação sempre "à mão de semear".

Editores 4gnews recomendam:

Mónica Marques
Mónica Marques
Como jornalista de tecnologia assistiu à chegada do 3G e outros eventos igualmente inovadores no mundo hi-tech ao longo de mais de 20 anos de carreira.