dellchromebookblack

O mercado dos Chromebooks nunca foi dos mais entusiasmantes no mundo da tecnologia, talvez um pouco por culpa das limitações impostas por um equipamento deste género. Acredito que a ideia da Google ao lançar o Chrome OS fosse aproximar-se um pouco daquilo que a Apple consegue oferecer com o seu ecossistema.

Tudo bem que o Android e o iOS são os líderes no seu segmento, mas o Chrome OS, que tem muitos menos anos de vida, está ainda muito longe daquilo que o OS X consegue oferecer. Mas aos poucos a oferta de Chromebooks começa a evoluir e o mais recente modelo apresentado pela Dell é uma amostra disso mesmo.

   

Num mercado que tem até agora vivido de extremos, a Dell apresentou hoje o seu novo Chromebook 13 que pretende oferecer aos utilizadores um terminal que, como a própria marca o diz, está pronto para utilizações mais exigentes por um preço bastante aceitável.

O novo Dell Chromebook 13 possui um design bastante elegante, com materiais de construção que variam entre o vidro, magnésio e fibra de carbono, fazendo dele um concorrente bem à altura do último Pixel lançado pela própria Google.

Passando agora para as suas especificações, como o próprio nome indica estamos perante um ecrã IPS LCD de 13 polegadas, com uma resolução Full HD. Os processadores são de quinta geração produzidos pela Intel Core: Celeron, Core i3-5005U ou ainda Core i5-5300U. No que respeita a memória RAM temos opções de 2GB, 4GB ou 8GB, enquanto o armazenamento de dados ficará limitado a 16GB ou 32GB, em ambos os casos com discos SSD.

A nível de entradas teremos duas USB, uma 2.0 e outra 3.0, uma HDMI, um jack de áudio e obviamente uma AC para o carregamento de uma bateria que promete uma autonomia de 12 horas. A nível de conectividade possui Wi-Fi 802.11AC e ainda Bluetooth 4.0.

Este novo Dell Chromebook 13 ficará disponível a partir do dia 17 de Setembro, com preços que variarão entre os $399 e os $899, dependendo obviamente do tipo de processador e memória escolhidos.

Talvez querias ver:

O gosto por tecnologia foi algo que esteve sempre dentro de mim. Com o crescer do mercado dos smartphones, também o meu entusiasmo com os mesmos aumentou. Já nos tempos livres, as séries são o meu principal mata-tempo.