COVID-19 vai atrasar desenvolvimento de processadores para telemóveis

António Guimarães
1 comentário

De acordo com o Digitimes, o surto de COVID-19 vai afetar a indústria dos telemóveis de uma forma específica: o desenvolvimento de processadores mobile. Mais especificamente a Samsung, que planeava arrancar o desenvolvimento de chips com litografia de 3 nanómetros em 2021.

No entanto, os planos da empresa coreana foram atrasados para 2022. Esta não se tratava de uma produção em massa, mas de volume, ou seja, uma produção inicial para fazer testes e depois seguir sim, seguir com a produção em maiores quantidades.

Conforme indica a Samsung, os processadores mobile com 3nm vão oferecer um aumento de performance em 35% e consumir menos 50% energia. Esta comparação é feita com os processadores de 5 nm, em mente. Estes ainda estão para ser implementados em telemóveis e estão para breve.

Apple pode ser a primeira empresa a implementar chips de 5 nm

Os iPhones 12, que deverão ser lançados em 2020, irão ter o processador biónico Apple 14, com 5 nanómetros. Assim sendo, serão os primeiros a estrear este processo. Adicionalmente, a fabricante TSMC e a Samsung também planeiam iniciar produção nesses chips. Contudo, não os iremos ver em telemóveis tão cedo.

Além da Samsung e Apple, temos a Huawei, que também fabrica os seus próprios processadores. É rumorejado que o próximo chip da fabricante chinesa seja intitulado de "Kirin 1020", passando a linhagem finalmente para os 4 dígitos.

Assim sendo, o Kirin 1020 deverá estrear juntamente com o Huawei Mate 40, mais perto do final do ano. Toda a situação do COVID-19 veio afetar de forma negativa a indústria dos telemóveis e ninguém escapa.

Editores 4gnews recomendam:

António Guimarães
António Guimarães
Juntamente com os seus atuais companheiros Mi A2 e Surface Go, batalha para elucidar as massas sobre todos os acontecimentos da esfera tecnológica. "Informação é poder" é a frase que o acompanha diariamente. Talvez um dia a coloque numa t-shirt.