Carro elétrico da Apple enfrenta mais um obstáculo. Lançamento em 2024 está comprometido

Mónica Marques
Comentar

Ao que tudo indica, a Apple está a enfrentar algumas dificuldades no seu projeto de construção de um carro elétrico.

Agora, as negociações a decorrer entre a Apple e os dois fabricantes chineses foram interrompidas abruptamente.

Fabricantes chineses não querem trabalhar em exclusivo para a Apple

CATL china
Instalações CATL, na China Crédito@REUTERS / Jake Spring

Há já algum tempo que é noticiado o projeto da Apple para a construção do seu primeiro carro elétrico que seria colocado no mercado em 2024. Mas agora a empresa de Cupertino enfrenta mais um obstáculo que pode comprometer a data anunciada de lançamento.

De acordo com a agência de notícias Reuters que cita fontes próximas do processo, as negociações entre a Apple e os fabricantes chineses de baterias elétricas CATL e BYD foram interrompidas de forma abrupta.

Segundo a mesmas fontes, a interrupção ficou a dever-se ao facto de as empresa chinesas se recusarem a formar equipas e construírem fábricas nos EUA que iriam responder exclusivamente a pedidos da Apple.

Apple quer bateria LFP no seu carro elétrico

Apesar deste revés, a empresa de Tim Cook não perdeu as esperanças de retomar as negociações com ambas as fabricantes chinesas. Tudo porque a Apple quer integrar no seu carro elétrico baterias de fosfato de ferro-lítio (LFP) que são mais baratas de produzir. E claro tanto a CATL como a BYD são especialistas na área, apresentando mais avanços do que os seus concorrentes.

Apple

De acordo com uma das fontes ligadas ao projeto Apple, a fabricante CATL rejeitou a ideia de construir uma fábrica em território norte-americano devido às tensões políticas e económicas existentes entre Pequim e Washington.

Por outro lado, a CATL também apurou que é quase impossível formar uma equipa para desenvolvimento de produtos que funcione, em exclusivo para a Apple, devido às várias dificuldades para encontrar e juntar o número suficiente de pessoas.

O caso da BYD é um pouco diferente. Esta fabricante chinesa até tem uma fábrica de fosfato de ferro na Califórnia, mas segundo fontes ligadas ao processo, recusou construir uma nova fábrica e criar uma equipa que trabalhasse em exclusivo para a Apple.

Apple avalia possibilidade de trabalhar com fabricantes japoneses

A Reuters avança também que, com as negociações estagnadas com os fabricantes chineses, a Apple rumou até ao Japão para considerar outras possibilidades, nomeadamente a fabricante Panasonic Corp.

Este é um momento especialmente bom para o sector de carros elétricos nos EUA, uma vez que a administração de Joe Biden quer transformar o país numa potência de veículos elétricos.

Recorde-se que Biden já anunciou publicamente que em 2030 quer que metade dos veículos novos vendidos sejam elétricos. Se a Apple conseguir manter o lançamento do seu elétrico em 2024, pode ser que represente uma percentagem significativa neste objetivo da administração Biden.

Editores 4gnews recomendam:

Mónica Marques
Mónica Marques
Como jornalista de tecnologia assistiu à chegada do 3G e outros eventos igualmente inovadores no mundo hi-tech ao longo de mais de 20 anos de carreira.