Apple trabalha no seu próprio modem 5G para iPhone e iPad

Rui Bacelar
Comentar

A Apple começou a desenvolver o seu próprio modem de rede móvel, o chip 5G, para utilização em futuros modelos de iPhone e iPad, eliminando potencialmente a necessidade e dependência da Qualcomm para este tipo de componentes eletrónicos.

Tal como noticiamos na 4gnews, a medida foi anunciada pelo responsável máximo pelo departamento de chips e tecnologias de hardware, Johny Srouji durante uma sessão de esclarecimento com vários colaboradores da Apple. Quase de imediato, as ações da Qualcomm caíram mais de 4 pontos percentuais na bolsa de Nova Iorque.

O ecossistema Apple será cada vez mais fechado, mas isso é mau?

Ecossistema Apple

O recente exemplo dos processadores Apple M1 são prova indubitável daquilo que a marca consegue fazer ao controlar todos os aspetos do software e hardware que emprega nos seus equipamentos. Em simples palavras, com pouco consegue fazer "muito".

A otimização de recursos é o ponto forte da tecnológica californiana e sê-lo-á cada vez mais daqui em diante. Se até ao momento já conhecíamos as capacidades dos seus processadores para iPhone e iPad, já estamos a sentir o seu poderio em computadores.

Na prática, temos já processadores que são concebidos de raiz para executar software desenvolvido pela mesma entidade. Para dar resposta a um leque de necessidades selecionadas por essa mesma empresa e destinando-se a um determinado grupo de utilizadores. A Apple - já é - mas será gradualmente mais fechada, mas mais competente nas tarefas que se propõe a fazer.

A Intel já ficou para trás, segue-se a Qualcomm

Apple A14 Bionic

"Este ano começamos o desenvolvimento do nosso primeiro modem de redes que permitirá outra transição estratégica", afirmou Srouji. "Investimentos estratégicos a longo prazo, como este, são vitais para tornar os nossos produtos mais ricos, diversificados e garantir que criamos tecnologias para o nosso futuro", acrescentou o responsável da Apple.

O modem, a par do processador, é um componente chave de qualquer smartphone. É o que transforma num telefone móvel (inteligente), ou, por outras palavras, um verdadeiro smartphone. Além disso, é também um dos componentes que mais energia pode consumidor, sendo a sua otimização um dos objetivos da Apple durante o desenvolvimento dos seus modems.

A atual geração de smartphones iOS, os iPhone 12, usam modems 5G da Qualcomm, um padrão de redes que exige notório consumo de energia. É, portanto, fácil compreender esta vontade acessória da Apple em criar soluções próprias.

A Apple tem um longo caminho até à auto-suficiência

Estando a contratar engenheiros da Qualcomm, a estratégia é relativamente simples, reforçar fileiras e criar os próprios SoC's em tudo o que for possível. Relembramos ainda que o primeiro processador mobile da marca foi introduzido em 2010, o A4 que deu vida ao iPhone 4 e à primeira geração de iPad. Desde então, a gigante de Cupertino deu grandes passos no departamento dos chips.

Em 2020 conhecemos o poder dos processadores para computadores Apple, não sendo necessariamente os mais avançados ou apetrechados ao olhar para as suas especificações técnicas e fenómenos multi-thread, mas sim os mais otimizados e controlados.

O rumo está traçado. Agora que os processadores estão maduros o suficiente para chegar às mãos do público, os chips de rede ou modems são o próximo passo. Resta saber o que se seguirá na lista de componentes e semicondutores.

O binómio otimização e controlo (firme) pautará a Apple nos anos e décadas vindouras. O consumidor estará gradualmente mais embrenhado num ecossistema gratificante e orgânico, mas severamente exclusivo e, dirão até alguns - não desprovidos de razão - monopolista.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.