Apple junta-se à Qualcomm para trazer leitor biométrico no ecrã no iPhone

Carlos Oliveira

Para além dos esforços no desenvolvimento de um iPhone com 5G, a Apple e a Qualcomm unem-se para o desenvolvimento de uma outra tecnologia. Neste caso, a empresa de Cupertino socorreu-se da sua conterrânea para trazer o sensor de impressões digitais no ecrã aos seus futuros equipamentos.

Segundo fontes próximas da indústria, a Apple viu na Qualcomm a parceira ideal para o fornecimento deste tipo de sensores para os seus iPhone. Será a próxima geração deste tipo de sensores a que a empresa da maça pretende para os seus smartphones.

Sensor impressões digitais no ecrã

A primeira geração deste tipo de sensores da Qualcomm já pode ser encontrada no Samsung Galaxy S10, por exemplo. Trata-se de um sensor ultrassónico bem mais rápido e fiável que os sensores óticos que vemos no OnePlus 6T e outros.

A Apple quer a nova geração dos sensores ultrassónicos da Qualcomm

Ainda assim, eventos recentes mostram-nos que este mecanismo não é totalmente infalível. O próprio topo de gama da Samsung já conseguiu ser ludibriado com impressões digitais 3D.

Naturalmente, um cenário como este preocupa a Apple e os seus elevados padrões de qualidade. A empresa de Cupertino não se daria ao luxo de lançar uma tecnologia que pudesse ser enganada de uma forma tão simples. Por isso é que ainda não existem planos imediatos para o abandono do Face ID.

iPhone XS Max

Contudo, este passo acabará por ser dado assim que a Qualcomm apresente uma nova geração dos seus sensores ultrassónicos. No caso de estes conseguirem ultrapassar as questões de segurança referidas, a Apple estará pronta para o incluir nos seus iPhone´s.

Quando é que esse passo será dado permanece um mistério, por enquanto. Sabemos que a Apple não tem pressa na adoção de novas tecnologias, preferindo aguardar até que essas estejam devidamente desenvolvidas. E este será certamente mais um desses casos.

Editores 4gnews recomendam:

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.