Apple pode enfrentar a justiça com este componente crucial

Mónica Marques
Comentar

Os últimos rumores sobre a Apple dão conta de novos desenvolvimentos na relação desta empresa com a Qualcomm.

Na origem da relação tensa entre as duas empresas estão os modem 5G que a Apple quer desenvolver "dentro de casa", mas tal pode levá-la aos bancos dos tribunais para enfrentar duas patentes que estão na mão da Qualcomm.

Apple quer construir o seu próprio modem 5G, mas pode sofrer consequências

iPhone 13
O iPhone 13 está equipado com um modem 5G da Qualcomm Crédito@Apple

Apple e Qualcomm mantinham boas relações, sendo que esta última era a principal fornecedora de chips da empresa de Cupertino. Mas a amizade entre ambas foi abalada pela decisão da Apple de construir os seus próprios chips.

Mais tarde, a empresa de Cupertino compra a área de modems para smartphones da Intel e as relações entre ambas as empresas sofreu uma rutura total. Tudo porque a Apple planeia construir também dentro das suas portas os modems 5G para smartphones e, desta maneira, acabar com a dependência que tem com a Qualcomm.

Mas agora Tim Cook sofreu um enorme revés nos seus planos. Esta semana uma instância judicial recusou rever a propriedade de duas patentes cruciais que estão atualmente nas mãos da Qualcomm – uma das patentes permite que o utilizador recuse uma chamada com uma mensagem de texto e outra refere-se a uma interface de troca de aplicações.

O prazo das duas patentes termina em 2029 e 2030 e, até esta data, a Apple pode ver-se impedida de integrar modems 5G, desenvolvidos por si e construídos pela TSMC, nos seus equipamentos móveis. Se o fizer, poderá ser processada pela Qualcomm.

Desta forma e depois de muitos rumores sobre este assunto, é bastante provável que o iPhone 14 ainda não inclua o modem 5G "made by Apple".

Tim Cook tem vindo a perder batalhas com a Qualcomm

O CEO da Apple, Tim Cook, já partilhou publicamente a razão para a qual a empresa quer terminar as relações comerciais que mantém com a Qualcomm. De acordo com este responsável máximo, "a política da Qualcomm sobre a licença dos seus chips, é ilegal, além de que a empresa devia disponibilizar o seu portfólio de patentes de uma forma justa, razoável e não discriminatória, mas são cobrados preços exorbitantes".

Apesar das duras palavras de Tim Cook, pouco depois Apple e Qualcomm chegaram a um acordo sobre a utilização dos modems 5G, até porque as autoridades norte-americanas recusaram considerar esta política da Qualcomm como anti competitiva.

Esta foi mais uma batalha perdida por Tim Cook que esperava que por volta de 2023, a Qualcomm fornecesse apenas 20% dos modems. Atualmente, a Apple apenas utiliza modems da Qualcomm e esta deverá ser uma situação que se irá manter por mais uns bons anos.

Editores 4gnews recomendam:

Mónica Marques
Mónica Marques
Como jornalista de tecnologia assistiu à chegada do 3G e outros eventos igualmente inovadores no mundo hi-tech ao longo de mais de 20 anos de carreira.