Apple notificará os utilizadores sempre que a privacidade estiver em risco

Rui Bacelar
Comentar

A Apple implementará o novo sistema de notificações de privacidade no início da primavera, de acordo com fonte oficial. O novo sistema avisará o utilizador sempre que uma aplicação tentar colher informações e dados sobre quem a utiliza.

Segundo a Apple, as mudanças serão aplicadas para proteger os dados dos seus utilizadores, dando-lhes a opção de negar às aplicações essa colheita de informações. A medida veio colocar a tecnológica de Cupertino em rota de colisão com o Facebook.

O ATT - App Tracking Transparency da Apple

Apple iOS 4gnews

O anúncio foi feito pela Apple durante o dia mundial da privacidade e proteção de dados, fazendo-se acompanhar de um estudo que nos guia através do percurso que as nossas informações tomam todos os dias. Apesar de ser uma manobra de marketing, há conclusões deveras interessantes a ser retiradas da compilação feita pela tecnológica de Cupertino.

A função chegará a todos os utilizadores da empresa no início da primavera e dará mais informação contextual sobre o que cada uma das aplicações pode ver, saber e colher sobre o utilizador.

Na prática, as aplicações serão forçadas a pedir autorizações ao utilizador antes de os começarem a seguir e a colher dados sobre os mesmos, sobretudo para fins de publicidade dirigida.

Assim, só com a autorização expressa do utilizador é que as apps poderão aceder ao identificador do dispositivo. O código que lhes permite rastrear as ações de um utilizador, sobretudo para entregar esses dados às empresas e websites de publicidade.

O controlo da privacidade será entregue ao utilizador

Apple iPhone iOS 4gnews

A todo e qualquer utilizador será dada a opção de partilhar, ou não, as suas informações. Aqui incluindo os metadados necessários parar receberem publicidade dirigida, o tracking que muitas empresas usam para nos mostrar anúncios relacionados com as nossas pesquisas recentes e atividade na Internet.

Portanto, tendo a opção de aceitar, ou recusar esta partilha de dados, é provável que a maioria opte por não dar estas informações às mais diversas empresas de publicidade e aplicações. Será, para os utilizadores Apple, um forte trunfo e garante de privacidade.

Entretanto, os programadores que queiram disponibilizar as suas aplicações através da App Store já têm que implementar os cartões de privacidade. Aí são exibidas as permissões e informações a que cada aplicação acede, visíveis para o utilizador.

A mesma mecânica será assim aplicada a todo o ecossistema iOS, de forma obrigatória. A Apple frisa o seu compromisso com a privacidade do utilizador, ainda que tal venha a gerar descontentamento junto de grandes empresas como o Facebook.

Esta atualização foi anunciada em junho último, durante a WWDC. Agora, está finalmente pronta a chegar aos utilizadores após atrasos sucessivos e críticas por parte de diversas entidades como o supracitado grupo empresarial de Mark Zuckerberg.

O descontentamento do Facebook e o impacto na publicidade

Apple iOS

Afirmando que tal medida irá asfixiar os pequenos programadores e arrasar as pequenas empresas que dependem da publicidade dirigida para sobreviver, o grupo Facebook é o maior antagonista à recente medida da Apple.

O caso tem despertado fortes críticas por parte de Mark Zuckerberg que vê uma ameaça a um dos principais vetores do seu negócio, as informações dos utilizadores. Dados valiosos que são a "alma" da publicidade dirigida e apresentada com base no que vemos, o que fazemos, o que pesquisamos e o que poderemos querer comprar, os target ads.

Zuckergerb avisou os investidores que tal medida poderá prejudicar os negócios do grupo Facebook. Acusando a Apple de ter "todos os motivos para usar a sua posição enquanto plataforma dominante para interferir a forma como as nossas apps e outras apps funcionam", o CEO mostra-se indignado com tal medida da Apple.

A Google aliviará o tracking no universo iOS

Entretanto, a Google já fez saber que aliviará o tracking dos utilizadores iOS. Na prática, deixará de seguir de forma tão agressiva as ações dos utilizadores de iPhone, iPad e Apple Watch, algo que o Facebook ainda se recusa a fazer.

A Apple, por sua vez, disse estar a criar uma nova tecnologia alternativa que distribuirá gratuitamente como forma de compensação para as plataformas de publicidade. Um meio alternativo de pagamento, ou rentabilização dos anunciantes que permita aliviar a pressão neste setor sem fazer o que a Apple considera ser tracking agressivo dos utilizadores.

A gigante de Cupertino tem mais de 1,65 mil milhões de dispositivos ativos. Destes, mais de mil milhões são smartphones iOS, os iPhone, registando também mais de 620 milhões de subscritores ativos dos seus serviços.

Podem consultar a apresentação da Apple relativa aos dados dos utilizadores - em formato PDF.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.