Apple lança atualizações de segurança para combater spyware

Mónica Marques
Comentar

Na véspera de apresentar as suas novidades, a Apple lançou atualizações de segurança para o iPhone, iPad, Apple Watch e Mac. Estas melhorias surgem para resolver uma vulnerabilidade que, alegadamente, estava a ser explorada por spyware invasivo.

O alerta foi dado pelo grupo de vigilância de segurança na Internet Citizen Lab. A descoberta foi feita quando o referido grupo de interesse público apurou que o telemóvel de um ativista saudita tinha sido infetado com o spyware Pegasus, um produto da empresa israelita NSO Group.

O Citizen Lab apurou que o Pegasus era utilizado para infetar remotamente os equipamentos Apple e que esta vulnerabilidade poderá estar a ser utilizada desde fevereiro deste ano. Por esta razão, recomenda que todos os utilizadores Apple atualizem imediatamente os sistemas operativos.

Apple garante segurança perante ameaça

A Apple já agradeceu publicamente ao Citizen Lab e avançou que esta vulnerabilidade não representa uma ameaça para a maior parte dos seus utilizadores. Num comunicado, Ivan Krstić, responsável pela segurança na Apple afirmou que "ataques como estes são altamente sofisticados, custam milhões de dólares para desenvolver, geralmente têm uma vida útil curta e são utilizados para atingir indivíduos específicos".

No mesmo comunicado, o responsável de segurança garante ainda que a Apple vai continuar a "trabalhar incansavelmente para defender todos os utilizadores e a adicionar constantemente novas proteções para os seus equipamentos e dados".

Já em julho deste ano, investigadores de segurança tinham encontrado vestígios da instalação do spyware Pegasus em telefones de ativistas, jornalistas e empresários. Recorde-se que este spyware foi criado com o objetivo de investigar suspeitos de terrorismo.

Supostamente, o Pegasus tem capacidade para aceder e gravar mensagens de texto, vídeos, fotos, atividade na Web e registar e copiar passwords.

NSO Group aposta no combate ao terrorismo

Por seu lado, o NSO Group num comunicado enviado à agência Reuters, não confirma nem desmente o seu papel neste caso, adiantando apenas que "continuará a fornecer às agências de inteligência e forças da lei em todo o mundo tecnologia que salva vidas para combater o terrorismo e o crime".

O Grupo NSO foi já implicado noutros casos que envolviam spyware, nomeadamente o ataque ao fundador da Amazon Jeff Bezos, em 2018.

As atualizações de segurança para iOS surgem exatamente no momento em que a Apple vai apresentar os seus novos modelos num evento marcado para hoje, às 18 horas de Portugal.

Editores 4gnews recomendam:

Mónica Marques
Mónica Marques
Como jornalista de tecnologia assistiu à chegada do 3G e outros eventos igualmente inovadores no mundo hi-tech ao longo de mais de 20 anos de carreira.