Apple: ecrã do iPhone 12 revela-se (seriamente) mais resistente que o iPhone 11 (vídeo)

Filipe Alves
1 comentário

A Apple referiu na apresentação do iPhone 12 que os ecrãs dos seus novos smartphones são mais resistentes que os antecessores. Falou um pouco da nova tecnologia, porém, não referiu nada em concreto sobre isso.

Quando falamos de smartphones nos dias de hoje pensamos num pedaço de vidro que nos custa um dinheirão e há de chegar o momento em que partirá.

iPhone 12 Vs iPhone 11 na resistência do ecrã

O YouTuber MobileReviewsEh colocou os dois iPhones à prova. O iPhone 11 e o iPhone 12. Utilizou um medidor de força para perceber até que ponto é que o iPhone 12 aguentaria mais do que o antecessor. A resposta é clara, a Apple fez algo ao seu ecrã porque se nota que existe uma diferença considerável entre os dois.

Ainda assim, não significa que os novos iPhone 12 sejam totalmente resistentes a quedas. Como sempre, sabemos que uma queda é sempre algo improvável. Tanto pode o equipamento cair de uma altura enorme e nada acontecer, como cair 10 centímetros e rachar o ecrã por completo.

iPhone 12 vs iPhone 11

Porém, esta nova resistência chamada Ceramic Shield, promete trazer aos utilizadores uma maior confiança no seu smartphone. Até porque substituir o ecrã de um iPhone nunca é um concerto barato.

Assim sendo, olhando para o resultado final deste teste, o iPhone 11 partiu com uma força exercida de 352 newtons enquanto o iPhone 12 partiu nos 442 newstons.

Proteger o iPhone 12 com película e capa continua a ser a melhor opção

Em suma, o YouTuber referiu ainda que, por muito que esteja melhor, a solução para manter o ecrã vivo por mais tempo será utilizar uma película de proteção de qualidade. Além disso, fica ainda a dica que a parte traseira também é de vidro. Ou seja, uma capa de proteção também deve ser um investimento a considerar.

Editores 4gnews recomendam:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.