Apple cai na venda de iPhones mas cresce (como nunca) em serviços

Filipe Alves
Comentar

A Apple revelou os números fiscais do primeiro trimestre de 2020 e as surpresas não são muitas. A empresa vendeu menos iPhones que o ano passado e conseguiu menos dinheiro que a estimativa de muitos analistas. Em contra-partida, a empresa subiu seriamente na venda de serviços e mostrou um crescimento sólido nos wearables.

Já há muito que vemos uma Apple a não inovar nos seus smartphones, em vez disso, as suas apresentações tem-se focado cada vez mais em serviços. Apple TV+, Apple Music ou até iCloud. Tim Cook, CEO da Apple, insiste em melhorar e adicionar serviços que trarão um lucro constante à empresa sem a necessidade de lançar novo hardware.

Números da Apple no primeiro trimestre de 2020

Produto Vendas em (mil milhões) de dólares Crescimento face ao ano passado
iPhones 28.96$ - 6.7%
Wearables 6.28$ 22.4%
Serviços 13.35$ 16.6%

Venda de iPhones caiu em 2020

Apple iPhone 11 Pro

Segundo o relatório de contas, a Apple vendeu cerca de $28.96 mil milhões (25 mil milhões de euros) em iPhones. Uma queda de 6.7% face ao número obtido no ano passado pela mesma altura.

Vale a pena referir que neste relatório não contamos com o novo iPhone SE. Ainda que o valor do smartphone seja seriamente inferior aos outros modelos da Apple, temos de ter em conta que a tecnologia maioritariamente utilizada no smartphone, já é fabricada há alguns anos. Ou seja, a margem de lucro pode ser considerável.

Apple Watch continua a crescer

Apple Watch

O Apple Watch e os Apple AirPods são os principais responsáveis pelo crescimento nos wearables. A empresa tem mostrado que consegue criar wearables de qualidade e que cativam os utilizadores. Ainda assim, vale a pena frisar que o preço destes está longe de ser tão convidativo quanto alguma da sua concorrência.

Serviços é o foco principal da Apple

Apple TV Plus

Como referi, os serviços são o próximo objetivo da Apple. Daí o lançamento de um iPhone com um valor inferior. Conquistar novos utilizadores e, de seguida, vender serviços.

Isto porque os serviços são um lucro constante. A empresa não precisa de investir tão forte na evolução destes serviços quanto na construção de um novo smartphone. Ou seja, menos trabalho, mais lucro. O Apple TV+, Apple Music, AppleCare+, Apple Pay ou até Apple News+ e iCloud são os principais serviços da empresa de Cupertino.

Em conclusão, temos de esperar para ver se a Apple continuará o mesmo caminho. Os fãs começam-se a queixar que os iPhones continuam atrás da concorrência em nível de evolução. E não estão errados. Contudo, a Apple nunca se apressou para nos dar as novidades tecnológicas e não me parece que o façam agora. É uma das poucas fabricantes que se pode dar a esse luxo.

Editores 4gnews recomendam:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.