google-glassA Google registou esta semana uma patente, que pode muito bem ser a reincarnação dos seus óculos inteligentes, os Google Glass. Ao passo que a versão original repousava no nariz do utilizador como qualquer par de óculos convencionais, o novo design requer que o seu utilizador equilibre o dispositivo na lateral da sua cabeça (isto é mais facilmente ilustrado por imagens do que palavras).

Os Google Glass fazem parte dos projectos desenvolvidos pelo departamento de investigação (Google X), o nicho de génios que tenta expandir os limites da inovação tecnológica e que por norma mantêm o seu trabalho discreto, com a grande excepção dos Google Glass. Este dispositivo seduziu completamente a comunidade tecnológica e uma boa parte público geral, pelo menos o mais curioso. No entanto, apesar de toda esta mobilização, desde janeiro deste ano que os óculos inteligentes entraram num hiato sem fim à vista.

Uma das razões apontadas para esta perda de interesse nos Google Glass era a imperfeição dos mesmos, muito devido ao seu caráter experimentalista, ao facto de serem a primeira implementação ou aplicação prática de uma ideia. Apesar do dispositivo ter sido colocado na gaveta, a sua razão de ser e as suas ambições persistiram. A equipa responsável pelo Google Glass tem agora o seu próprio departamento e o público começa a ficar impaciente para ver os resultados do “Project Aurora”. Pois bem, a poderá patente ser o primeiro indicador do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido?Glass (3)Nesta nova patente temos um dispositivo que pode ser adaptado, para que o ecrã fique à frente do olho do utilizador. O prisma pode ser utilizado para proporcionar uma visualização de conteúdos em ambos os olhos. No entanto importa referir que esta patente foi originalmente preenchida pela Google em setembro de 2012, muito antes dos Google Glass se tornarem um dispositivo icónico pelas boas e más razões, mas só agora é que esta aplicação de patente foi aprovada, em 24 de novembro.

   

Talvez queiras ver:

😉

ViaTNW
FonteUSP
Quando não está a escrever um artigo ou a gravar algum vídeo, o Bacelar tem por hábito saborear um bom livro, descobrir novas bandas sonoras ou simplesmente desfrutar do sol, na companhia de quem mais gosta (MM).