YouTube quer esconder os "dislikes" nos vídeos para educar os utilizadores

Rui Bacelar
Comentar

O YouTube tem por hábito testar novas funções e implementações na sua plataforma de vídeos, não sendo a primeira ou última vez que o fará no sentido de apurar a sua exequibilidade e aceitação. Assim, num esforço de prevenção, os "dislikes" serão escondidos.

Mais concretamente, os "Não gosto", ou votos negativos nos conteúdos publicados na sua plataforma. A medida aplicada em regiões específicas durante o período de teste surge após o feedback dos criadores de conteúdo e outras observações da empresa.

O YouTube pode esconder os "dislikes" para não ferir suscetibilidades

A tecnológica justifica a ação com a prevenção do ódio direcionado e campanhas de cancelamento dos criadores de conteúdo, bem como ações similares no sentido de abalar uma determinada pessoa. Por outras palavras, para não ferir suscetibilidades.

Esta implementação - em fase de testes - acaba por atrair alguma atenção negativa com grandes mudanças a serem preparadas para a forma como um vídeo é avaliado e classificado na plataforma. Note-se a seriedade com que a empresa se refere à temática.

O primeiro passo para o novo sistema de classificação dos vídeos passará assim por esconder o número de votos negativos. Na prática, continuaremos a ver os "Likes" ou votos positivos para que a plataforma cresça como um palco de positividade.

A medida está a gerar contestação por parte dos utilizadores

As reações à publicação do YouTube nos seus canais e redes sociais como o Twitter foram geralmente negativas. Ainda assim, a empresa sustenta o teste e provável implementação geral desta função com a "educação" dos utilizadores no YouTube.

Note-se que apesar de esconderem a contagem de "dislikes", a função não desaparecerá. De igual modo, os criadores de conteúdo continuarão a ter acesso a esta contagem, sabendo quantas pessoas deram um voto negativo aos seus vídeos.

Para o YouTube, a medida é necessária para desincentivar as campanhas de ódio, de cancelamento de canais e de "spam de dislikes" que têm varrido alguns canais. Por outras palavras, o YouTube quer tornar a sua plataforma mais positiva.

Medida compreensível para youtubers, frustrante para o público

São dois pesos e duas medidas. Enquanto youtuber, pode ser um alívio para campanhas de ódio dirigido. Um "perdão" da plataforma ao ofuscar os votos negativos que possam ter sido aplicados a um dito vídeo, ou em geral ao canal.

Por outro lado, para o público e espetadores gerais, é desmesurado. O "dislike" deixa de ter tanto peso como o "like" com esta medida imposta pela plataforma.

O ódio dirigido é um problema, tal como a cultura do cancelamento. Mesmo assim, truncar uma ferramenta de avaliação do conteúdo prejudica tanto o voto positivo como o negativo, ao esvaziar um deles de significado.

Atualmente a plataforma testa esta implementação junto de um grupo restrito no seu canal beta. Os interessados podem-se inscrever no programa de testes através da Google Play Store, ou descarregar o APK através da APK Mirror.

Editores 4gnews recomendam:

  • Apple anuncia as datas para a WWDC 2021. O que esperar do evento
  • Xiaomi revela a sua nova imagem e entra oficialmente na indústria automóvel
  • Apresentação dos Huawei P50 terá sido novamente adiada
Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. Ocupa-se com as novidades de tecnologia na 4gnews. Email: ruifbacelar@gmail.com