YouTube quer esconder os "dislikes" nos vídeos para educar os utilizadores

Rui Bacelar
Comentar

O YouTube tem por hábito testar novas funções e implementações na sua plataforma de vídeos, não sendo a primeira ou última vez que o fará no sentido de apurar a sua exequibilidade e aceitação. Assim, num esforço de prevenção, os "dislikes" serão escondidos.

Mais concretamente, os "Não gosto", ou votos negativos nos conteúdos publicados na sua plataforma. A medida aplicada em regiões específicas durante o período de teste surge após o feedback dos criadores de conteúdo e outras observações da empresa.

O YouTube pode esconder os "dislikes" para não ferir suscetibilidades

👍👎 In response to creator feedback around well-being and targeted dislike campaigns, we're testing a few new designs that don't show the public dislike count. If you're part of this small experiment, you might spot one of these designs in the coming weeks (example below!). pic.twitter.com/aemrIcnrbx

— YouTube (@YouTube) 30 de março de 2021

A tecnológica justifica a ação com a prevenção do ódio direcionado e campanhas de cancelamento dos criadores de conteúdo, bem como ações similares no sentido de abalar uma determinada pessoa. Por outras palavras, para não ferir suscetibilidades.

Esta implementação - em fase de testes - acaba por atrair alguma atenção negativa com grandes mudanças a serem preparadas para a forma como um vídeo é avaliado e classificado na plataforma. Note-se a seriedade com que a empresa se refere à temática.

O primeiro passo para o novo sistema de classificação dos vídeos passará assim por esconder o número de votos negativos. Na prática, continuaremos a ver os "Likes" ou votos positivos para que a plataforma cresça como um palco de positividade.

A medida está a gerar contestação por parte dos utilizadores

Botões YouTube

As reações à publicação do YouTube nos seus canais e redes sociais como o Twitter foram geralmente negativas. Ainda assim, a empresa sustenta o teste e provável implementação geral desta função com a "educação" dos utilizadores no YouTube.

Note-se que apesar de esconderem a contagem de "dislikes", a função não desaparecerá. De igual modo, os criadores de conteúdo continuarão a ter acesso a esta contagem, sabendo quantas pessoas deram um voto negativo aos seus vídeos.

Para o YouTube, a medida é necessária para desincentivar as campanhas de ódio, de cancelamento de canais e de "spam de dislikes" que têm varrido alguns canais. Por outras palavras, o YouTube quer tornar a sua plataforma mais positiva.

Medida compreensível para youtubers, frustrante para o público

São dois pesos e duas medidas. Enquanto youtuber, pode ser um alívio para campanhas de ódio dirigido. Um "perdão" da plataforma ao ofuscar os votos negativos que possam ter sido aplicados a um dito vídeo, ou em geral ao canal.

Por outro lado, para o público e espetadores gerais, é desmesurado. O "dislike" deixa de ter tanto peso como o "like" com esta medida imposta pela plataforma.

O ódio dirigido é um problema, tal como a cultura do cancelamento. Mesmo assim, truncar uma ferramenta de avaliação do conteúdo prejudica tanto o voto positivo como o negativo, ao esvaziar um deles de significado.

Atualmente a plataforma testa esta implementação junto de um grupo restrito no seu canal beta. Os interessados podem-se inscrever no programa de testes através da Google Play Store, ou descarregar o APK através da APK Mirror.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.