Xiaomi vai trazer ainda mais gadgets para a tua casa inteligente

Filipe Alves
Comentar

Se já começas a olhar para a Xiaomi de forma a fazer da tua casa um pouco mais inteligente, temos boas novidades para ti. A Xiaomi acaba de investir numa empresa de decoração de casa de forma a trazer ainda mais gadgets inteligentes para a nossa casa inteligente.

A empresa chama-se Dongyi Risheng e é uma das reconhecidas na China pela qualidade de decoração de casa. Agora, a Xiaomi começará a integrar produtos inteligentes no portefólio.

Investimento de 20 milhões para a Xiaomi tornar a tua casa mais inteligente

Xiaomi smarthome

O objetivo da Xiaomi tem sido claro nos últimos tempos. Cada vez vemos mais soluções da marca para a nossa casa. Para além das luzes, temos detetores de humidade, sensores de janelas, tomadas inteligentes ou até sensores de movimento.

As boas notícias é que a maior parte destes gadgets utiliza uma conexão chamada Zigbee. Ou seja, os gadgets da Xiaomi poderão "falar" com outros produtos inteligentes que não sejam da Xiaomi. Por exemplo, posso colocar um sensor de movimento da Xiaomi a ligar uma luz da Phillips.

Google Home

Contudo, para que isso aconteça precisarás de ligar todos os gadgets a um Hub com essas potencialidades. Uma das melhores soluções é o Samsung SmartThings Hub. O seu preço ronda os 120€ na Amazon e a sua única função é unir os gadgets inteligentes que tens em casa e criar automatismos.

Por exemplo, colocas um detetor de janelas da Xiaomi no frigorífico. Se a porta estiver aberta podes definir que uma luz fica a vermelho. As potencialidades são imensas e a Xiaomi está a entrar cedo na corrida. Daqui a nada vemos uma enorme quantidade de pessoas a querer colocar mais inteligência na sua casa. A Xiaomi será uma das fabricantes que oferecerá mais produtos a um preço mais apelativo.

Editores 4gnews recomendam:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.