Xiaomi vai abrandar alguns smartphones tal como a Apple. Entende.

Rui Bacelar
Comentar

A Xiaomi vai tirar outra lição do caderno da Apple. Desta feita, apresentando avisos nos seus smartphones Android em que o utilizador tenha instalado uma bateria não original. Isto é, caso tenha substituído a célula energética por um componente de terceiros.

Além disso, a Xiaomi abrandará o desempenho dos smartphones em que deteta a substituição deste componente por outro não produzido por si. De igual modo, também abrandará a velocidade de carregamento. Invoca, para tal, razões de segurança.

A prática será instituída pela Xiaomi na China

Xiaomi smartphone Android
A bateria é um dos componentes mais voláteis de um smartphone.

Tal como informa o portal XDA Developers, com a distribuição da versão 5.6.0 da aplicação Mi Security a Xiaomi prepara os utilizadores para uma introdução algo inusitada. De momento, a app fornece novas opções de cuidado a ter com a bateria, velocidade de carregamento, informações sobre os ciclos de carga, bem como outros detalhes associados à gestão de energia.

Todavia, este portal veio a descobrir que a Xiaomi cogita apresentar aos seus utilizadores um aviso, bem como uma diminuição da velocidade de carregamento sempre que o sistema operativo detetar uma bateria "não autorizada". Isto é, uma bateria não oficial.

Com efeito, o smartphone avisará o utilizador caso o seu dispositivo esteja a usar uma bateria que não a aprovada pela Xiaomi. Mais ainda, este aviso afirmará que a célula energética "só deve ser substituída por um fornecedor de serviço autorizado".

De igual modo, alertará para o facto de uma bateria "não autorizada" poder provocar danos ao dispositivo, bem como ao utilizador.

Aviso será apresentado ao utilizador de smartphones Xiaomi

Xiaomi smartphone
Exemplo do aviso a ser apresentado aos utilizadores de smartphones Xiaomi.

A descoberta feita pelo portal em questão resultou da análise do APK, o ficheiro de instalação da mais recente versão desta aplicação, a Mi Security. Seria assim detetado, no seu interior, o ecrã de alerta que podemos ver nas imagens acima.

De momento, este aviso só será apresentado na China. Mais ainda, apenas surtirá efeito nos smartphones Xiaomi Mi 9, Mi 10 e Mi 10 Pro, sempre que for detetada a presença de uma bateria que não a original, ou um substituto aprovado pela fabricante.

Note-se ainda que este aviso não deverá ser apresentado fora da China. A conclusão é vincada pela equipa de programadores do portal XDA Developers, que apontam a exclusividade deste futuro aviso e comportamento para o mercado da China.

"Este dispositivo foi equipado com uma bateria integrada que só deve ser substituída por um fornecedor de serviços autorizado. Ao substituir a bateria noutro local podem danificar este dispositivo. Usar baterias não autorizadas pode resultar no dano da bateria, sobreaquecimento ou fuga de material da mesma. Também pode causar um incêndio, bem como outros perigos. Não use baterias não autorizadas".

Esta é a mensagem a ser apresentada caso se verifiquem as condições mencionadas supra.

A Apple também avisa os utilizadores de iPhone

Apple iPhone
A medida encontra precedente nos smartphones Apple iPhone.

Aviso similar é igualmente apresentado aos utilizadores de smartphones Apple sempre que o iPhone reconhece a presença de uma bateria não oficial. O mesmo sucede quando o equipamento não intervencionado num centro de reparação autorizado, por exemplo.

Esta medida viria a ser contestada por vários críticos da Apple, com a tecnológica norte-americana a citar razões de segurança para tal. Agora, também a Xiaomi invoca as mesmas razões, querendo acautelar o bom uso dos seus smartphones Android.

Por fim, para já a medida da Xiaomi será restrita ao mercado natal da China. Não há, de momento, indícios de que possa vir a ser aplicada, por exemplo, na Europa.

Deveria a fabricante expandir este tipo de avisos para o nosso mercado?

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.