Xiaomi tem ideia altamente revolucionária para carregar um smartphone

Carlos Oliveira
Comentar

A Xiaomi é uma das empresas que mais tem feito ultimamente para evoluir a tecnologia de carregamento dos smartphones. Recentemente ficamos a conhecer a tecnologia de carregamento sem fios pelo ar ou uma velocidade de 200W em carregamento por fio.

Agora, foi descoberta uma nova patente submetida pela Xiaomi junto da entidade competente chinesa. Este documento contempla uma nova tecnologia de carregamento que pretende usar o som como fonte de energia.

Xiaomi quer que o som possa carregar o teu smartphone

Este é uma das ideias mais revolucionárias que já tive conhecimento para o carregamento de um smartphone. O intuito será usar o som que rodeia o utilizador e transformá-lo em energia para reabastecer uma bateria.

Xiaomi

Segundo a patente, haveriam vários passos a seguir para concretizar esta forma de carregamento. Será necessário fazer uma conversão de vibração ambiental para vibração mecânica. A última terá posteriormente de ser convertida para energia alternada esta para corrente direta.

O intuito é criar um sistema de carregamento que dispense qualquer ligação a uma tomada. A patente sugere que esta tecnologia poderá ser aplicada a outros dispositivos além dos smartphones.

Imagina, portanto, o que seria estares num local público e o teu smartphone ser carregado sem necessidade de nenhum acessório. Bastaria que houvesse barulho ao teu redor e nunca ficarias sem bateria.

Esta filosofia seria particularmente vantajosa em locais como um centro comercial ou o metro, onde habitualmente há sempre mais ruído. Já num local mais isolado e sossegado esta tecnologia não surtiria tanto efeito.

Importa frisar que esta ideia foi apenas patenteada e poderemos estar muito distantes do seu lançamento para o público. Aliás, o facto de estar patenteada não significa que algum dia a Xiaomi a venha a lançar para o mercado.

Editores 4gnews recomendam:

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.