Xiaomi revela um dos maiores segredos do Mi MIX Fold

Bruno Coelho
1 comentário

Depois de muita espera, a Xiaomi apresentou no final do mês de março o seu primeiro smartphone dobrável. O Mi MIX Fold segue a linha de design de produtos como o Samsung Galaxy Z Fold 2.

Agora, a marca veio a público revela um dos maiores segredos do novo equipamento. Numa publicação na rede social Weibo, a marca explica com detalhe como resolveu um dos maiores problemas no que diz respeito a smartphones dobráveis.

Xiaomi explica como funciona o sistema de dissipação de calor do Mi MIX Fold

Estar ou não dobrado tem influência na dissipação de calor do smartphone, e a parte do smartphone que tem o processador vai sempre aquecer mais. Como podes ver nas imagens, a Xiaomi desenvolveu neste equipamento um mecanismo “borboleta”.

Mecanismo borboleta do Xiaomi Mi MIX Fold

Este sistema de dissipação de calor permite que a área refrigerada seja muito maior que o normal. “Está equipado com a tecnologia de dissipação de calor multidimensional mais luxuosa e avançada da indústria”, afirma a Xiaomi na sua publicação.

É bom referir que o smartphone conta com refrigeração líquida, folhas de grafite, folha de cobre e gel térmico. Além disso, a marca criou ainda uma espécie de túnel para transferir calor entre ambas as partes do smartphone

Túnel de transferência de calor do Mi MIX Fold

O Xiaomi Mi MIX Fold é vendido oficialmente na China a partir desta sexta-feira, e chegará também em breve à Europa por valores a a rondar os 1299 €. Conta com um ecrã externo de 6,52” polegadas e quando desdobrado oferece um painel de 8,02” polegadas. É comandado pelo processador Snapdragon 888, e tem uma bateria de 5020mAh com carregamento de 67W.

Editores 4gnews recomendam:

  • POCO M3 Pro está a chegar: Xiaomi volta a fazer das suas
  • Xiaomi coloca Mi MIX Fold à prova em teste “louco”
  • Xiaomi vai lançar novas Smart TVs com característica muito apreciada
Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.