Xiaomi Redmi Note 11: versão global pode trazer grande mudança

Bruno Coelho
Comentar

No final do mês de outubro, a Xiaomi apresentou na China os Redmi Note 11. Estes são a linha mais recente de smartphones, com um histórico de sucesso sem par no mobile para a fabricante chinesa.

No primeiro trimestre de 2022, é esperado que estes smartphones aterrem nos mercados globais. Segundo os últimos rumores, o modelo base pode chegar com uma grande mudança que vai agradar a muitos utilizadores.

Versão global do Redmi Note 11 pode chegar com o Snapdragon 680

Recorde-se que a versão chinesa do Redmi Note 11 foi lançada com o processador MediaTek Dimensity 810. Segundo o leaker Chun, a versão global do Redmi Note 11 deve ser comandada pelo processador Qualcomm Snapdragon 680.

Redmi Note 11 global version will have another 4G version with Snapdragon 680 and will be price at 5 million Dong ($215) which from what we know, cheaper quite a lot than the realme 9i using the same chip (will tell y'all the price in upcoming days)https://t.co/kSWxHaI5Td pic.twitter.com/Eaj8fOMv5r

— 2021 ends soon (@chunvn8888) 11 de dezembro de 2021

É importante realçar que o MediaTek Dimensity 810 dispõe de suporte para 5G. E a confirmarem-se estes rumores, o Redmi Note 11 global não terá suporte para 5G que este processador da Qualcomm não tem.

Esta não seria a primeira vez que a Xiaomi lançaria um smartphone com o mesmo nome e características diferentes dependentes do mercado. Nas restantes especificações, o Redmi Note 11 deve equiparar-se à versão chinesa.

Podemos assim esperar um terminal equipado com um ecrã IPS LCD de 6,6” polegadas, com resolução Full HD+ e 90Hz de taxa de atualização. Nesse painel está um punch-hole que aloja a câmara frontal de 16 MP.

Na traseira encontramos uma câmara principal de 50 MP, acompanhada por uma ultrawide de 8 MP. O equipamento conta com uma bateria de 5000mAh com carregamento rápido de 33W.

Assim que surgirem as certificações da versão global poderemos confirmar, ou não, estes rumores.

Editores 4gnews recomendam:

Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.