Xiaomi Redmi K50: primeiros segredos dos smartphones desvendados

Bruno Coelho
Comentar

Desde o seu lançamento inicial, a serie K da Redmi tem-se focado em oferecer uma experiência topo de gama por baixo preço. Estes equipamentos lançados na China, foram lançados globalmente como a série Mi T, e mais recentemente pela submarca POCO.

A alguns meses do lançamento dos próximos membros desta linha, os Redmi K50, surgem agora os primeiros segredos dos equipamentos. Segundo o leaker Bald Pand, podemos esperar três versões: Redmi K50, Redmi K50 Pro e Redmi K50 Pro+, à semelhança da anterior linha.

Taxa de atualização de 120Hz e ecrãs AMOLED E5 em todos os Redmi K50

Segundo esta fonte, todos os equipamentos terão direito a ecrãs E5. Como seria de esperar, manterão a taxa de atualização de 120Hz, que se vai tornando cada vez mais o novo padrão.

Redmi K50, K50 Pro & K50 Pro+ specifications tipped.Redmi K50E5 AMOLED48MP rear cameraRedmi K50 ProE5 AMOLED64MP rear cameraRedmi K50 Pro+ PlusE5 AMOLEDSnapdragon 898120 Watt charging108MP cameraVia1:https://t.co/mnWDfdFeAGVia2:https://t.co/BFiJwdwCkU#Xiaomi pic.twitter.com/ZN6Kj7d3ZA

— Abhishek Yadav (@yabhishekhd) 3 de outubro de 2021

As principais diferenças notáveis entre os três modelos estarão nas câmaras. Segundo esta fonte, o modelo base terá uma câmara principal de 48MP. O K50 Pro terá um sensor de 64MP, e o K50 Pro+ um sensor de 108MP.

Segundo esta fonte, o Redmi K50 Pro+ será equipado com o Snapdragon 898. Este será o grande processador da Qualcomm para 2022. Além disso, é expetável que chegue com 120W de carregamento como o 11T Pro. As outras versões podem chegar com carregamento de 67W (Pro) e 33W (modelo base).

Por enquanto devemos olhar para estes detalhes com uma pitada de sal. Até confirmação oficial de certificações concretas, estes dados devem ser analisados como meros rumores.

Editores 4gnews recomendam:

Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.