Xiaomi prepara-se para fazer da tua casa ainda mais inteligente! Entende

Filipe Alves
Comentar

A Xiaomi é uma das fabricantes que procura oferecer soluções viáveis e a bom preço para a tua casa inteligente. A marca tem imensos produtos inteligentes e cada vez mais traz mais produtos para o nosso pequeno mercado em Portugal.

Mas as boas notícias não acabam aqui. A Xiaomi está a desenvolver uma tecnologia seriamente interessante. Tecnologia esta que fará da tua casa ainda mais inteligente.

Como funciona a nova tecnologia da Xiaomi

Neste vídeo acima (podes passar para o minuto 0.37) conhecemos a nova tecnologia da Xiaomi chamada UWB. Isto faz com que o teu smartphone seja o centro das atenções na interação com a casa.

Em vez de abrires a aplicação das luzes, por exemplo, e desligares a luz que queres. Ou então abrires a App para ligares a tua ventoinha inteligente, só precisas de apontar o smartphone para esse gadget.

Xiaomi casa inteligente

De imediato o smartphone abrirá a aplicação que te dá os comandos para interação. Isto funciona também com as fechaduras inteligentes. Assim que te aproximas de casa com o smartphone, a porta abre-se.

Isto leva-nos a questionar a segurança do serviço no que toca às fechaduras. Isto porque no vídeo não nos mostra que precisa de qualquer tipo de verificação biométrica (como impressão digital) para abrir a porta. Ainda assim, se essa funcionalidade não te agrada, simplesmente não a atives.

Quando chegará a tecnologia à tua casa inteligente

Ainda não há datas de lançamento para esta tecnologia. Esta é a primeira vez que ouvimos falar da Xiaomi adotar esta funcionalidade nos seus gadgets. Porém, é um avanço considerável na evolução da IoT (Internet das coisas) e na construção de uma casa inteligente.

Editores 4gnews recomendam:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.