Xiaomi: patente mostra como poderá ser o seu smartphone dobrável!

Filipe Alves
Comentar

Já não é a primeira vez que se fala que a Xiaomi tem um smartphone dobrável nas mãos. Hoje temos uma ideia clara daquilo que a marca está a trabalhar.

Uma nova patente mostra-nos como é o smartphone dobrável que a Xiaomi prepara. Um equipamento que dobra em 3 e de smartphone passa a um autêntico tablet.

Patente da Xiaomi de smartphone dobrável

smartphone dobrável da Xiaomi
Crédito da imagem: Let's Go Digital

Podemos ver que o smartphone dobra em 3. Ou seja, fica do género "sandwich" quando está totalmente dobrado. Quando desdobrado é um típico tablet.

Patente smartphone dobrável Xiaomi
Crédito da imagem: Let's Go Digital

Na patente voltamos a ver o tal "buraco no ecrã" para a câmara frontal. Isto é, não se espera que a nova tecnologia de câmara embutida no ecrã chegue neste smartphone.

Uma patente é apenas isso

Ainda assim, temos de ter os pés no chão. Esta patente não garante que o primeiro smartphone dobrável venha a ser assim. Aliás, é possível que nunca o vejamos a sair no mercado.

A patente garante à Xiaomi que todo o trabalho que teve ao desenvolver o smartphone não é utilizado pelos seus concorrentes.

Xiaomi já nos mostrou um smartphone dobrável num vídeo

Há uns tempos, quando os smartphones dobráveis ainda eram uma promessa, a Xiaomi lançou um vídeo com o seu CEO a brincar com um smartphone dobrável.

Esse modelo em nada era parecido com que vemos nesta patente. Assim sendo, percebemos que a Xiaomi tem trabalho em múltiplos modelos para perceber qual será o melhor para o lançamento.

Os smartphones dobráveis começam a ganhar mais destaque no mercado. Mercado este que a Samsung lidera a passos largos. Porém, algo me diz que o próximo ano será interessante nesta categoria.

Editores 4gnews recomendam:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.