Xiaomi não desistiu dos seus processadores. Palavra de CEO!

Bruno Coelho
1 comentário

A Xiaomi tem o desejo antigo de fabricar os próprios processadores para os seus dispositivos móveis. A marca estreou-se nesse sentido em 2017 com o Surge S1, mas foi caso único.

Segundo Lei Jun, CEO da Xiaomi, a marca ainda não desistiu de avançar nesse sentido. O executivo admitiu que o projeto Surge continua vivo, e que a marca pretende ir ao encontro das expectativas dos seus consumidores.

Lei Jun CEO Xiaomi

Processador Surge S1 foi lançado em 2017 e equipou o Xiaomi Mi 5C

Depois de lançar o Surge S1 em 2017, a Xiaomi lançou o Mi 5C com este mesmo processador. Este foi o único smartphone a chegar com o SoC, embora tenham havido contactos com a Nokia para uma possível parceria.

Neste momento não existe data para o lançamento deste processador. Mas pode ser uma ótima altura para a empresa se destacar neste segmento, quando a Huawei pode ter no Mate 40 o último dispositivo a chegar com um processador fabricado em "casa".

É bom recordar que além da Huawei, apenas mais duas marcas fabricam os próprios processadores. Estas são a Samsung e a Apple, que podem em breve ter a companhia da Xiaomi.

Se tal significar que a Xiaomi pode descer ainda mais o preço de certos dispositivos sem comprometer desempenho, esta pode ser uma boa notícia para os consumidores. Mas só quando a marca passar das palavras à ação o poderemos comprovar.

Editores 4gnews recomendam:

Bruno Coelho
Bruno Coelho
O Nokia 3650 foi o primeiro grande mergulho no mundo tecnológico. Se o Football Manager e o cinema são dois dos seus escapes, o Macbook Pro é o melhor amigo. Escrever sobre tecnologia é o processo natural na vida de alguém que come especificações ao pequeno-almoço.