Xiaomi MIUI 11: Começou o desenvolvimento do próximo User Interface

Filipe Alves

A Xiaomi MIUI 11 começou agora a ser desenvolvida com vista em chegar aos smartphones ainda em 2019.

Ainda que se acredite que a espinha dorsal do novo User Interface já esteja construído, hoje foi o dia em que se falou de forma oficial o desenvolvimento.

Esta informação chega através da conferência anual da "Xiaomi MIUI Core Experience". A pequena conferência foi destinada à equipa responsável por desenvolver a ROM e pouco mais.

O que esperar da Xiaomi MIUI 11

Até ao momento ainda não sabemos ao certo o que esperar desta nova Xiaomi MIUI 11. De acordo com as primeiras informações será um User Interface "novo e único". Porém, não se esperava que fosse dito outra coisa.

Contudo, temos de ter noção que as palavras podem pesar. Ou seja, a MIUI 10, ainda que melhorada face a 9, é uma atualização com pequenas modificações. Temos novas cores e novos gestos.

Assim sendo, se estamos a falar de "novo e único", espera-se que a tal espinha dorsal venha a ser diferente. Pelo menos, estas são as minhas esperanças.

Há, na minha opinião, muito por onde a Xiaomi melhorar com a Xiaomi MIUI 11. Por muito que goste da MIUI 10, tenho plena noção que é uma ROM, ou User Interface, desenhado para o mercado asiático.

Dessa forma, está na hora de vermos uma MIUI 11 destinada também ao público ocidental. Afinal a Xiaomi começa a investir cada vez mais no nosso mercado. Estou a falar de cores mais vivas, ícones mais "sérios" e Google Feed no canto do smartphone. Ou seja, algo que vá seguir um pouco as pisadas do Android puro. O sucesso dos smartphones da marca com Android One fala por si.

Editores 4gnews recomendam:

Huawei vai começar a bloquear ‘Android launchers’ na EMUI 9

Nokia 6.2 será a próxima aposta da marca para o mercado de gama média

Google Assistant ficará acessível mesmo com o smartphone bloqueado

Fonte | Via

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.