Xiaomi MIUI 11: Os 5 desejos para o próximo sistema Android da Xiaomi

Filipe Alves

Xiaomi MIUI 11: Os 5 desejos para o próximo sistema Android da XiaomiA Xiaomi MIUI 10 ainda está a chegar aos smartphones da Xiaomi, contudo, já só penso na Xiaomi MIUI 11. Ainda que seja um amante dos smartphones da empresa chinesa, não morro de paixão pela MIUI. Não é que desgoste, simplesmente não é a minha praia.

Assim sendo, neste artigo vou-te dar 5 desejos que tenho para a Xiaomi MIUI 11. Devo lembrar que isto são apenas desejos. Ainda não há rumores ou fugas de informação que sustenham os meus desejos. Ainda assim, acredito que algumas destes desejos chegarão de forma natural ao sistema Android dos smartphones da Xiaomi.

Vê ainda: MIUI10 está a caminho destes 20 smartphones

Quando aos smartphones que serão atualizados ainda não é nada certo. Como referi, só agora é que terminais estão a receber a Xiaomi MIUI 10, contudo, acredito plenamente que a maior parte dos equipamentos lançados este ano receba o update.

Xiaomi MIUI 11 chegará apenas em 2019

A Xiaomi MIUI 10 trouxe-nos uma pequena mudança de design e melhorias a nível de autonomia e fluidez. Os gestos de navegação são também uma melhoria considerável face aos típicos botões.

5 desejos para o sistema Android dos smartphones da Xiaomi

Xiaomi Huawei mercado de smartphones Android

Primeiramente começarei por aí. Os gestos de navegação. Por muito que goste de utilizar gestos nos smartphones da Xiaomi, gostaria que tivessem seguido o exemplo da Apple neste campo.

Falo do gesto para retroceder ser apenas do lado esquerdo. Na Xiaomi MIUI 10 o retroceder pode ser dos dois lados, porém, a navegar na web dou por mim a querer "avançar" e acabo por retroceder ainda mais. Ademais, gostaria de ver a fluidez dos gestos melhorada. Em certas alturas é simplesmente lento demais para uma utilização fluida (Mi Mix 2S).

Xiaomi Mi MIX 2S Android Oreo Google MIUI 10 Xiaomi Mi MIX 3

Em segundo lugar gostava de ver cores mais escuras no sistema. O sistema do momento é "claro" e "deslavado" demais para o meu gosto. Gosto de contrastes num User Interface. Até ao momento compreendia porque a Xiaomi usava smartphones com LCD e preferia não puxar demais pela densidade de cores, porém, com os mais recentes topos de gama a chegarem com AMOLED acho que está na hora de fazer das cores mais intensas.

Dark Mode, Dark Mode, Dark Mode!

Em terceiro lugar trago o Dark Mode. Quem é que não gostaria de ter um Dark Mode no smartphone? Um Dark Mode que fosse ativo mediante a hora do dia. Imagina que marcavas que às 21h o teu smartphone passava a ser escuro. Os teus olhos agradeciam.

Em quarto lugar venho falar um pouco das definições. Acredito que a Xiaomi MIUI 11 devia fazer um trabalho melhor na organização das definições. Se usas um smartphone Xiaomi há algum tempo não tens ideia, contudo, quem chega de um outro equipamento, olhar para as definições é complexo. Para mudar a cor do LED de notificações estás ali 3 minutos à procura. Mais uma vez, compreendo que discordes neste ponto. Aliás, compreendo que discordes em todos eles! Mas sim, as definições da Huawei, Xiaomi e Samsung enervam-me.

Por fim tenho de falar do Google Feed. Sendo que a Xiaomi é chinesa e os smartphones são muito destinados à China compreendo que o Google Feed não seja importante. Porém, a Huawei implementou dois sistemas e a Xiaomi também o poderia fazer. O Google Feed no lado esquerdo do smartphone é bem mais útil do que a treta que a Xiaomi oferece.

Em suma, são 5 desejos que podem estar muito longe da realidade. Não espero que a maior parte deles se realize mas tenho a minha esperança que algo seja mudado para melhor.

Editores 4gnews recomendam:

Google Maps combate Waze com deteção de radares e mais novidades

Google Play Store: Os 15 jogos grátis Android mais populares do momento

Oppo RX17 Pro e RX17 Neo chegarão finalmente à Europa

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.