Xiaomi dará a opção do Microsoft Launcher de origem nos seus smarpthones

Filipe Alves

Parece que a Xiaomi chegou a uma parceria com a Microsoft que dará aos utilizadores da empresa chinesa a possibilidade de instalar o Microsoft Laucher sem ter de o baixar da Google Play Store.

Qualquer smartphone da Xiaomi poderá simplesmente instalar a aplicação no seu smartphone, porém, o desconhecimento de muitos utilizadores na possibilidade de mudar o Interface do seu smartphone fez com que a Microsoft quisesse ir mais longe.

Microsoft Launcher no smartphones Xiaomi

De acordo com as informações, a nova versão da MIUI Beta para o Xiaomi Mi 9 já oferece a possibilidade de ativação do Microsoft Launcher.

A novidade está integrada nas definições e na pré-definição do launcher instalado. Uma forma simples de ativar um novo launcher. Com a integração desta funcionalidade, é perfeitamente plausível que a utilização do Microsoft launcher ganhe mais adeptos.

O que ganha a Microsoft desta parceria com a Xiaomi

Visto que o Launcher é grátis na Google Play Store, o que ganha a empresa americana com a parceria com a Xiaomi. Se já tiveste o Microsoft Launcher sabes tudo funciona através dos seus serviços. Seja cloud ou pesquisa. O Bing é o escolhido e o Google News também deixado de lado para o Bing News.

Microsoft Launcher Xiaomi

A Microsoft quer com este launcher que os utilizadores voltem a olhar para os seus serviços online e, com o seu tempo, conquistar subscrições de cloud ou serviços de office.

Ou seja, a Microsoft desistiu do seu sistema operativo mobile para se focar em serviços para o Android. Não é segredo que a marca está a fazer um bom trabalho, porém, continuo a acreditar que o Bing está longe de competir com a Google. Pelo menos em Portugal.

Editores 4gnews recomendam:

Via

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.