Xiaomi Mi MIX Alpha e Samsung Galaxy Fold: design inovador vale o preço?

Rui Bacelar

O Xiaomi Mi MIX Alpha é uma visão de futuro tal como o Samsung Galaxy Fold. São duas abordagens distintas à próxima etapa para o "mundo dos telemóveis" cujos traços, além do preço, damos agora a conhecer.

Com a era do 5G a arrancar, a Xiaomi provou que consegue inovar com o ecrã a 360º, ou arrebatar com as câmaras de 108 MP, ainda que o preço possa ultrapassar os 2500 €, mas há mais a ter em conta.

Alpha ou Fold, o design gira em torno do ecrã

Alpha
O ecrã do Mi MIX Alpha reveste as laterais e traseira

Ir além do formato estabelecido dos smartphones, o "retângulo com um grande ecrã". Partindo dessa premissa, a Samsung doi uma das primeiras a arriscar com os seus dobráveis, dispositivos que rompem claramente com o status quo.

A sul-coreana Samsung quis mostrar ao mundo o que consegue fazer e investiu consideravelmente no dobrável, com outras marcas a seguir-lhe os passos. Em todo o caso, o design serve para acomodar um ecrã grande que se pode dobrar.

Já o Mix Alpha trilhou um outro caminho. Não rompe com o formato vigente, sendo este o mais familiar para os consumidores, mas amplia-o. O ecrã do Alpha não dobra, mas reveste não só a parte frontal, mas também as laterais e parte da traseira.

Neste ponto, a aposta da Xiaomi vai mais ao encontro daquilo que é familiar ao consumidor e, por aí, o Mi MIX Alpha pode realmente conquistar a preferência deste grupo. Acredito que este Alpha possa ser o início de uma nova tendência no mercado.

As duas vias: ecrã dobrável, ou rígido que abraça o smartphone

Fold
O Galaxy Fold tem dois ecrãs, com o maior a ser dobrável

Para fugir ao convencional, estas são as opções que se colocam diante do consumidor. A primeira conta sobretudo com o Galaxy Fold, ou o Mate X. A segunda materializou-se a 24 de setembro com o novo Mi MIX Alpha.

Este é um tentador conjunto de smartphones ousados e até ao momento os mais incríveis do ano. Ainda assim, vemos que os benefícios não ultrapassam as desvantagens para o consumidor comum, desde o preço à durabilidade do produto.

Seja o Xiaomi Mi MIX Alpha a 2500 € ou Galaxy Fold a 2000 €, todos eles são caros. Mais ainda, estes últimos dois são manifestamente grossos quando estão fechados e todos eles são notoriamente pesados.

Há ainda a dificuldade em encontrar capas de proteção, ainda que já existam soluções próprias, mas nunca para o Xiaomi. Aliás, qualquer capa opaca para o Mi Alpha invalidaria o seu maior trunfo.

Em síntese, há ainda que ter em conta a durabilidade do produto. A via do ecrã dobrável submete este componente sensível a mais pressão e desgaste dos componentes. Já a via da Xiaomi parece mais suscetível a danos provocados por quedas acidentais.

O preço alto do Mi MIX Alpha e do Galaxy FoldXiaomi

Independentemente do modelo, o preço pode ser proibitivo. Na prática, temos produtos com especificações topo de gama, suporte para redes 5G e claro, o fator X sendo o ecrã que, de uma forma ou outra, é realmente futurista e merece todo o apreço.

Mesmo assim, estes produtos não deixam de ser smartphones que custam pelo menos o dobro dos equipamentos convencionais de gama alta que podemos encontrar no mercado. Este é o preço da inovação entregue pelas fabricantes.

É certo que oferecem um ecrã maior que os smartphones convencionais, mas pelo valor pedido - entre 2000 a 2500 € - podemos comprar não só um telemóvel topo de gama, bem como um tablet respeitável, ainda que não o possamos dobrar.

A data de lançamento pode alongar-se até dezembro de 2019

Não tendo a menor dúvida que será pelo caminho do MI MIX Alpha, ou do Fold, que passará o futuro dos telemóveis, para já a relação custo / benefício é perigosamente dúbia. São investimentos de risco e, sobretudo o Fold, não pode ser recomendado.

O Samsung Galaxy Fold já começa a chegar ao mercado após atrasos consecutivos, estreando-se em setembro no mercado sul-coreano e chegando gradualmente a outros pontos do mundo. Já o Xiaomi Mi MIX Alpha, deve chegar em dezembro.

O sucesso do Galaxy Fold passará pelo volume de vendas e confiança dos consumidores nas suas soluções. A do Xiaomi Mi MIX Alpha passará sobretudo pela sua capacidade de criar uma tendência na indústria e mercado mobile.

Especificações dos smartphones mais futuristas de 2019

Modelo Xiaomi Mi MIX Alpha Samsung Galaxy Fold
Anúncio Setembro de 2019 Fevereiro de 2019
Redes 5G / 4G LTE 5G / 4G LTE
Disponibilidade Dezembro de 2019 Setembro de 2019
Dimensões 154 x 73,3 x 10,4 mm

161 x 118 x 6,9 mm (aberto)

161 x 63 x 15,5 mm (fechado)

Peso 241 gramas 263 gramas
Ecrã AMOLED de 7,92 polegadas AMOLED de 7,3 polegadas (principal)
4,6 polegadas (secundário)
Plataforma Android 10 com MIUI 11 Android 9 Pie com One UI
Processador Snapdragon 855+ da Qualcomm Snapdragon 855 da Qualcomm
Memória RAM 12 GB 8 GB
Armazenamento 512 GB 512 GB
Câmara principal Tripla (108 MP + 12 MP + 20 MP) Tripla (108 MP + 12 MP + 20 MP)
Câmara secundária Utiliza a principal Tripla (12 MP + 12 MP + 16 MP)
Bateria 4050 mAh 4235 mAh
Preço ~2500 € 2000 € / 2100 € (5G)

Da comparação das especificações apura-se que qualquer um deles é um exímio smartphone, mas para justificar o respetivo preço, têm que ser mais que isso! São duas grandes promessas, mas que para já, em 2019, são apenas isso.

Conceito "verde" e preço demasiado alto!

O historial do Galaxy Fold joga contra a Samsung. Das unidades de teste que falharam desastrosamente, à recolha e revisão completa. Agora, a marca tem em mãos um produto que custa dois mil euros e vem com reputação maculada.

Ansiamos por novos produtos e formatos inovadores, mas não há marketing que me faça dizer "comprem o Galaxy Fold", ou mesmo o Mi MIX Alpha. Nada justifica um preço tão alto, sobretudo para produtos de 1.ª geração inerentemente imperfeitos.

Se o ano de 2019 prometia grandes revoluções no mercado elas não passaram de meras miragens. Recomendar, ao consumidor comum, um destes produtos seria para já, e infelizmente, contrário à boa-fé.

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.