Xiaomi Mi 6 Xiaomi Mi 7 Android reconhecimento facial
O próximo topo de gama da tecnológica chinesa poderá revolucionar este campo

Está oficialmente iniciada a corrida ao reconhecimento biométrico para smartphones. A próxima etapa, a próxima geração de mecanismos de biometria. Aqui, o Xiaomi Mi 7, enquanto próximo topo de gama da empresa fundada por Lei-Jun em 2010 pode seguir dois caminhos. O do reconhecimento facial avançado ou o da biometria com recurso ao leitor de impressões digitais embutido no display.

Para já ainda é muito cedo para ter certezas e muitos de nós ainda estarão embebidos em licor, meus caros mon cherry’s. Contudo, está na altura de começar a separar o trigo do joio e de começar a olhar seriamente para as mais recentes fugas de informação. Esta última, proveniente da rede social chinesa Weibo, foi entretanto divulgada pela publicação gizmochina. Afinal, em que é que apostará o novo Xiaomi Mi 7?

Vê ainda: Google, iPhone X, Huawei e Samsung Galaxy Note 8 – o que os une?

Esta publicação sugere que a Xiaomi siga um de dois caminhos. Pode, numa primeira hipótese, apostar nos leitores de impressões digitais / sensores biométricos embutidos no ecrã. Por outro lado, podem apostar num novo mecanismo de reconhecimento facial. Um reconhecimento 3D, bastante semelhante ao que é utilizado no iPhone X da Apple, o Face ID. Para já, nada está definido.

Reconhecimento facial ou leitor biométrico no próximo Xiaomi Mi 7?

Vejamos a primeira hipótese. A tecnologia de desbloqueio mediada por um leitor de impressões digitais alojado na tela, embutido no display será sem dúvida o Santo Gral de 2018. Já há muito que tem vindo a ser discutida mas ainda não se encontrava pronta.

Agora, por um lado temos a Vivo que já desenvolveu uma solução e por outro a Synaptics. Estas serão as empresas responsáveis pela produção dos novos sensores capazes de ser utilizados no próprio ecrã.

 Xiaomi Mi 6 Xiaomi Mi 7 Android reconhecimento facial MIUI 9 Xiaomi Mi 6 4gnews
O Xiaomi Mi 6 é o seu topo de gama, a par do Mi MIX 2 e a MIUI 9 a nova versão da sua interface gráfica.

Tecnologia esta que, quando estiver pronta para produção em larga escala poderá ser utilizada pela Xaomi no seu Xiaomi Mi 7. Aqui, tudo dependerá dos prazos. Ora, segundo as fontes acima declaradas, devido à escassez de tempo, a Xiaomi estará a concentrar-se na criação de um novo sistema de reconhecimento facial. Sistema este que pode chegar já com o Xiaomi Mi 7 no início de 2018.

Para que tudo fique pronto a tempo da Mobile World Congress 2018 (MWC), a marca está a trabalhar com a Truly Optico-Electronics, a Himax Technologies e até mesmo com a Qualcomm. Note-se que a MWC 2018 será o provável palco para a apresentação do Xiaomi Mi 7, entre outros topos de gama.

Cumpre salientar que neste momento não é claro, não sabemos se o advento do reconhecimento facial fará com que a Xiaomi abandone o leitor de impressões digitais. Algo que se registou com o Apple iPhone X. Deverá a marca chinesa abdicar por completo do leitor de impressões digitais ou deverá manter esta 2ª via?

Porque não os dois mecanismos no futuro Xiaomi Mi 7?

Pessoalmente preferia que a Xiaomi mantivesse o sensor biométrico / leitor de impressões digitais. O mesmo continuará a ser útil para autenticar a identidade do utilizador nas mais variadas tarefas. Desde o desbloqueio do smartphone até mesmo à autorização de pagamentos.

Ideal seria, e para maior versatilidade de todo o Xiaomi Mi 7 seria a utilização de ambos. O reconhecimento facial de nova geração pode ser o futuro, ou pelo menos, o rumo deste mercado mobile. Contudo, creio que em 2018 ainda exista espaço para este sensor biométrico, especialmente quando as marcas o conseguirem acomodar debaixo do ecrã.

Por último, a nível de especificações técnicas, espera-se que o Xiaomi Mi 7 traga uma nova tela ou display 18:9. Este é o novo padrão par ao formato do display que tem sido utilizado pela maioria das construtoras.

Xiaomi Mi 7 deverá ser anunciado em fevereiro, na MWC 2018

Além disso, o Xiaomi Mi 7 já deverá empregar o novo processador da Qualcomm. O seu novo “motor” topo de gama, o poderoso Snapdragon 845.

Já as suas restantes características permanecem um mistério. Apesar disso, não é difícil adivinhar uns 6 ou 8GB de memória RAM. Isto claro, consoante a versão e a memória interna. Esta, deverá totalizar uns 64 ou 128GB de armazenamento interno. Armazenamento este que não será expansível.

Não será, de todo, impossível que o seu sistema operativo seja o Android Oreo 8.0. Através de uma versão atualizada da interface própria da marca, a MIUI 9. As restantes configurações deste smartphone topo de gama ainda são desconhecidas. Contudo, não tenho dúvidas de que em 2018 teremos uma competição entre o reconhecimento facial e o leitor biométrico. Estes serão os principais meios de desbloqueio do smartphone.

Reconhecimento facial ou leitor de impressões digitais, qual preferes?

Se quiseres, e para não perderes os próximos artigos, listas, dicas e análises, fiquem atentos às nossas redes sociais como a página de FacebookInstagram e claro, no YouTube.

Faremos uma pequena interrupção agora no Natal. É tempo de aproveitar o tempo com a família e todos aqueles que nos são mais próximos do coração. Voltaremos em força, já em janeiro!

Porque não usufruir do melhor dos dois mundos? Acredito que se a Xiaomi conseguir desenvolver e aplicar esta tecnologia a tempo teremos não só o reconhecimento facial como também a biometria, agora debaixo da tela / display.

E tu, qual destas tecnologias / mecanismos de desbloqueio preferias utilizar num futuro Xiaomi Mi 7? Deixa-nos a tua opinião abaixo, nos comentários.

Assuntos relevantes na 4gnews:

Samsung Galaxy S9 e Galaxy S9+ revelados em novas imagens e vídeo

Qualcomm – Snapdragon 845 já revelou o seu poder

OnePlus 5T – Smartphone é agora revelado em Branco

ViaWeibo
Fontegizmochina
Quando não está a escrever um artigo ou a gravar algum vídeo, o Bacelar tem por hábito saborear um bom livro, descobrir novas bandas sonoras ou simplesmente desfrutar do sol, na companhia de quem mais gosta (MM).