Xiaomi compromete-se a disponibilizar o Kernel em 3 meses para os novos Android

Rui Bacelar
Kernel Android Oreo oficialmente Portugal Xiaomi Mi A1 Android One Google Mobile World Congress
Que dispositivos da fabricante chinesa gostarias de ver a chegar oficialmente a Portugal? Deixa-nos a tua opinião.

As fontes do código Kernel são importantes sobretudo para os programadores que querem compilar novas ROM's para os terminais Android. Ora, até à data a Xiaomi é uma das fabricantes que mais demora a disponibilizar esta importante ferramenta para a comunidade de programadores.

Note-se que o desenvolvimento de novas ROM's acaba por beneficiar também o utilizador comum ao providenciar mais opções para este. Mais ainda, sobretudo quando um dispositivo Android deixa de receber atualizações da marca, são estas ROM's não oficiais (não compiladas pela marca) que lhes valem. Ora, sem os códigos Kernel a tarefa destes programadores era dificultada.

Vê ainda: Qualcomm Snapdragon 710 será o coração de dois novos Xiaomi

Cumpre ainda salientar que obrigação de disponibilização das fontes do Kernel é imposta pela GPLv2. De uma forma sucinta, esta obriga as fabricantes Android a divulgar o código Kernel dos seus dispositivos de uma forma tempestiva (a tempo e horas). Bom, no caso da Xiaomi demorou quase meio ano para que o Kernel baseado no Android Oreo para o Xiaomi Mi A1 fosse divulgado. Ocorrendo apenas em janeiro de 2018.

Clarificada a obrigatoriedade da disponibilização do Kernel, importa agora referir que este mesmo código Kernel é a fundação sobre a qual se constroem novas “ROM’s”. As novas compilações para dispositivos móveis. Por isso mesmo, não estranhamos quando o famoso programador da comunidade XDA, franciscofranco, exigiu este mesmo código através do seu Twitter. Entretanto também a publicação Ars Technica deu voz a esta demanda. O mesmo sucedeu com a Android Police.

Xiaomi será mais expedita a disponibilizar o código Kernel dos seus dispositivos Android

Ainda assim, são várias as fabricantes que continuam a violar as obrigações impostas pela General Public License, relutantes em disponibilizar este código. Algo que é particularmente visível e latente nos dispositivos da Xiaomi e que finalmente está prestes a melhorar. Interpelados pelos representantes da comunidade de programadores independentes, a XDA Developers, a fabricante chinesa reconheceu a sua falha. Mais ainda, assegurou-os de que mudará de conduta.

A resposta da Xiaomi foi a seguinte. "Sendo uma empresa presente na Internet, a Xiaomi respeita a GNU General Public License (GPL). Acima de tudo, visa cumprir as suas imposições. Para tal estamos a alocar novos recursos para proporcionar um crescimento sustentável. Mais ainda, para que possamos publicar as fontes de kernel no máximo até 3 meses após o lançamento de novos produtos Xiaomi no mercado."

Ora, esta última frase. O compromisso em, no prazo de 3 meses. Aqui desde a chegada do produto ao mercado, disponibilizarem o Kernel são boas notícias. Ainda assim, um prazo de 3 meses continua a ser longo, principalmente se olharmos para a Google, Sony ou a OnePlus apesar de não deixar de ser uma melhoria.

Como vês esta nova postura da Xiaomi?

Assuntos relevantes na 4gnews:

Xiaomi Mi A2 será mais importante do que muitos imaginam

OnePlus 5 e 5T já receberam o Projecto Treble da Google

Xiaomi marca apresentação para o dia 25 de abril, Mi 6X a caminho?

Fonte |

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.