Xiaomi Huawei Samsung Apple
Lei Jun, CEO da fabricante chinesa. @reuters Já é a 4ª maior fabricante mundial.

Depois de aqui termos noticiado na 4gnews o desempenho da Samsung, Apple, Huawei e Xiaomi no 1º trimestre de 2018 com base nos dados da IDC. Vimos também, os dados da agência Strategy Analytics, aqui. Agora, temos o relatório da agência Counterpoint Research com a performance do ‘mundo’ Android e iOS.

Os dados das agências de análise e estudo de mercado ajudam-nos a perceber quais as empresas que estão em crescimento e quais as que se retraíram no período em análise. Neste caso concreto temos temos os dados dos primeiros três meses, o primeiro trimestre de 2018.

Vê ainda: Xiaomi é a 4.ª maior fabricante mundial, Huawei em 3.º – Strategy Analytics

Em primeiro lugar, a Samsung manteve a posição de liderança no mercado mundial de dispositivos móveis (smartphones, tablets e afins). Durante os primeiros três meses do ano a Samsung vendeu 78 milhões de dispositivos móveis. No período homólogo de 2017 vendeu 80 milhões.

A nível de quota de mercado a Samsung manteve-se na liderança com 21.7% de quota de mercado em 2018 face aos 21.6% de quota de mercado em 2017. Apesar de ter vendido menos smartphones a Samsung conseguiu aumentar a sua quota de mercado em 0.1 pontos percentuais.

Samsung continua a ser a maior fabricante mundial de dispositivos móveis

A posição da Samsung é a de liderança mas também de estagnação. Note-se que todas as suas principais rivais cresceram. Apple, Huawei e sobretudo a Xiaomi, todas olham para a posição cimeira da Samsung. Podemos ainda referir que a posição da Samsung na China, o maior mercado mundial de smartphones, é perfeitamente deplorável. Aí, tem menos de 1% de quota de mercado. Já na Índia, o 2º maior mercado mundial, a Xiaomi já ultrapassou a Samsung para se tornar na maior fabricante nesse país. São várias as agências de estudo de mercado a relatar este cenário.

Samsung, Huawei e Xiaomi, as maiores fabricantes Android

De acordo com o mais recente relatório da Counterpoint, o mercado mundial de dispositivos móveis caiu cerca de 3%. No 1º trimestre de 2018 venderam-se menos 11 milhões de smartphones. A queda sentiu-se no lado do Android com a Apple a aumentar o número de vendas.

Android Samsung Xiaomi Apple Samsung
Samsung, Huawei e Xiaomi, as maiores fabricantes Android e a Apple, também a crescer.

Apple contraria o ‘mundo’ Android e cresce 3%

Segundo a Counterpoint Research em 2018 a Apple vendeu 52.2 milhões de smartphones (iPhone’s) ao passo que em 2017 venderia 50.8 milhões de smartphones. Os dados referem-se ao primeiro trimestre de cada ano.

A nível de quota de mercado a Apple detém agora 14.5% de quota de mercado face aos 13.7% registados no ano passado. A popularidade de produtos como o iPhone X e também os novos iPhone 8 ajudou bastante a fabricante norte-americana a crescer.

Huawei solidifica o seu 3º lugar

A Huawei também cresceu consideravelmente neste primeiro trimestre face ao período homólogo do ano anterior. Tivemos aqui um crescimento de 14% com a Huawei a subir para 10.9% a sua quota de mercado.

Neste trimestre a Huawei vendeu 39.3 milhões de smartphones Android. No mesmo trimestre do ano passado a Huawei vendeu 34.6 milhões de dispositivos móveis com a plataforma Android.

Xiaomi é a marca revelação do ‘mundo’ Android

A empresa fundada por Lei Jun em 2010 é um estrondoso caso de sucesso, impondo-se já perante a Samsung na Índia e perante a Apple e Huawei no mercado global. Agora, tendo já destronado a OPPO para se tornar na 4ª maior fabricante mundial, a Xiaomi regista um crescimento de 101%.

A Xiaomi vendeu 24 milhões de smartphones Android no primeiro trimestre de 2018. Em 2017, no mesmo período vendeu 13.4 milhões. Na prática tivemos aqui um crescimento de 101% segundo os dados da Counterpoint.

Acompanhando este crescimento a sua quota de mercado aumentou de 3.6% em 2017 para 7.5% em 2018. Neste momento a fabricante chinesa está a apostar numa expansão gradual na Europa.

Onde cresceram as fabricantes Android da China?

Apple Samsung Xiaomi Huawei Counterpoint Android
O crescimento regional das marcas chinesas segundo a agência Counterpoint.

Reflectindo a contração do mercado chinês as marcas chinesas caíram cerca de 14% no seu país natal. Cresceram 9% nos restantes mercados asiáticos e caíram 1% na América Latina. Nos Estados Unidos da América as fabricantes chinesas caíram 25% perante o agravar das relações com a administração Trump.

Na Europa, no Médio Oriente e em África as fabricantes chinesas encontraram mercados receptivos aos seus dispositivos móveis Android. Aí, cresceram 6% e 36%, respectivamente.

Que conclusões podemos retirar daqui?

Neste momento sentimos que o mercado dos smartphones Android está cada vez mais saturado, tendo já ultrapassado a fase de maturação. No decurso dos próximos meses a contração do mercado é expectável.

Com a excepção sendo a Apple e os seus dispositivos iOS, sentimos que as fabricantes Android têm saturado o mercado com os seus equipamentos. Sentimos isso de forma particularmente notória no mercado chinês.

Com a excepção sendo a Xiaomi que tem crescido tanto na frente interna como nos mercados internacionais. Já por outro lado a Huawei poderá abrandar o seu ritmo de crescimento, sobretudo agora que lhe foi barrado o acesso ao terceiro maior mercado mundial.

Assuntos relevantes na 4gnews:

Xiaomi, Huawei e Apple continuam a crescer, Samsung não – IDC

Xiaomi contraria a queda de 21% no mercado chinês ao invés da Samsung

Samsung continua a definhar na China e Índia face à Xiaomi e Huawei

Fonte |

Quando não está a escrever um artigo ou a gravar algum vídeo, o Bacelar tem por hábito saborear um bom livro, descobrir novas bandas sonoras ou simplesmente desfrutar do sol, na companhia de quem mais gosta (MM).