Xiaomi em negociações com um novo parceiro para avançar no seu projeto mais relevante

Mónica Marques
Comentar

A produção de veículos elétricos é um dos projetos mais relevantes atualmente para a Xiaomi, tal como o CEO da empresa referiu no seu discurso anual.

Agora, para fazer frente a uma dificuldade inesperada, a marca chinesa está em negociações com a BAIC para a produção do primeiro carro Xiaomi.

Xiaomi e BAIC estão já em negociações para a produção de veículos elétricos

Our Xiaomi Pilot Test vehicle has achieved a safe and smooth driving experience under various conditions. Check out the video below for some of my favorite demos! #LeiJunAnnualSpeech pic.twitter.com/5ngOtkwoWp

— leijun (@leijun) 11 de agosto de 2022

Na última conferência que decorreu a 11 de agosto, a Xiaomi não apresentou apenas novos smartphones, deu também a conhecer todo o trabalho do seu departamento de pesquisa e desenvolvimento com o humanoide CyberOne e mostrou os progressos na produção do seu primeiro carro.

No seu discurso anual, Lei Jun, CEO da empresa, foi mais longe e até mostrou um vídeo, no qual foi possível ver os testes de condução autónoma do veículo que estão já em curso, em algumas estradas chinesas.

Mas nem tudo está a correr bem. Segundo a agência de notícias Bloomberg, existem atrasos na obtenção de licenças para a Xiaomi fabricar individualmente cada veículo. Para contornar esta situação, a marca chinesa estará em negociações com a empresa BAIC para que ambas estabeleçam uma parceria na coprodução dos carros.

Uma das soluções possíveis é ambas as empresas adquirirem uma fábrica da Hyundai que já detém a referida licença necessária ao fabrico de veículos. Infelizmente, quando questionadas sobre este assunto, tanto a Xiaomi como a BAIC recusaram-se a fazer comentários.

Lei Jun afirma que produção de carros será um dos marcos mais importantes da empresa

Este é atualmente um dos projetos mais relevantes da empresa. Aliás, Lei Jun admitiu já que a produção de carros será um dos marcos mais importantes da história da Xiaomi, sendo que a decisão de enveredar por esta área demorou o seu tempo e envolveu uma profunda análise de todos os fatores.

O CEO acredita que, na sua essência, os veículos elétricos são um produto de eletrónica de consumo, visto que podem ser definidos pelo seu software. Nesse sentido, o mercado destes carros terá um comportamento semelhante ao da eletrónica de consumo.

Ainda de acordo com o mesmo responsável, daqui a 15 ou 20 anos, a indústria dos carros elétricos irá entrar numa fase de mais maturidade, com as cinco principais marcas fabricantes deste tipo de veículos a deterem uma quota do mercado global de mais de 80%.

E esta é uma oportunidade de negócio que Lei Jun não quer perder, ainda para mais sendo este (possivelmente) o seu último grande projeto empresarial.

Editores 4gnews recomendam:

Mónica Marques
Mónica Marques
Como jornalista de tecnologia assistiu à chegada do 3G e outros eventos igualmente inovadores no mundo hi-tech ao longo de mais de 20 anos de carreira.