Xiaomi e OnePlus falham liderança de smartphones mais potentes da atualidade. E há uma grande surpresa

Bruno Coelho
Comentar

Como faz mensalmente, o AnTuTu revelou quais foram os smartphones Android mais potentes a passar pela plataforma de testes (benchmark) durante o mês de julho. E o primeiro lugar não é ocupado nem pela Xiaomi, nem pela OnePlus.

Tal como aconteceu no mês anterior, o Oppo Find X2 Pro é o smartphone que lidera esta lista com 604.805 pontos. O seu processador é o Snapdragon 865, presente nos sete primeiros classificados do do top 10.

A fechar o pódio, estão o OnePlus 8 Pro (598.169 pontos) e o Redmi K30 Pro (591.525 pontos). Mais uma vez, a sua versão global fica para trás, já que o Poco F2 Pro aparece em sexto, 572.854 pontos.

O top 10 de smartphones mais potentes no AnTuTu em julho de 2020

Sobre este ranking, embora não lidere, a Xiaomi é a fabricante a conseguir colocar mais equipamentos no top 10 (quatro no total). Os topos de gama da Samsung aparecem em 8.º e 9.º, equipados com o processador caseiro Exynos 990.

iQOO Z1 com processador Mediatek é a grande surpresa do mês

A grande surpresa desta lista é a entrada de um equipamento com o processador Mediatek Dimensity 1000+ para o top 10 – iQOO Z1. Recorde-se que este é o mesmo processador do recém-lançado Redmi K30 Ultra.

Este mês de agosto deve certamente trazer mexidas no topo deste benchmark. Isto porque será a altura em que os equipamentos com Snapdragon 865 Plus devem começar a ser testados na plataforma. Por isso, o próximo ranking deve ditar o fim do reinado do Oppo Find X2 Pro nesta plataforma. Veremos quem vai ser o novo líder.

Antes de ires, descobre os smartphones com melhores processadores, com os mais potentes de cada marca.

Editores 4gnews recomendam:

  • Google prepara-se para encerrar uma das mais populares Apps!
  • Samsung: a lista oficial de smartphones com 3 anos de atualizações
  • Huawei patenteia "MateDisplay" e "MateScreen". Sabe os detalhes
Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.