Xiaomi é a maior beneficiada com o desaire da Huawei na Europa

Rui Bacelar
Comentar
  • A Samsung e Apple continuaram a ser as maiores fabricantes na Europa em 2020
  • Em terceiro lugar, a Xiaomi foi a empresa que mais cresceu durante o último ano na Europa
  • A Huawei continuou a derrapar no Velho Continente

O mercado de smartphones na Europa sofreu um significativo abrandamento durante 2020, fruto da pandemia da COVID-19 que assolou o continente. Mesmo assim, algumas fabricantes contrariaram habilmente a tendência de queda.

Os dados são avançados pela agência de análise de mercado Counterpoint Resarch e mostram-nos o desempenho das principais fabricantes no nosso continente. Há nomes emergentes como a Xiaomi e Oppo, com a Samsung e Apple a manter a liderança.

A Samsung e Apple desaceleraram na Europa em 2020

Xiaomi Apple Samsung Huawei Oppo\

Os dados acima apresentados mostram-nos uma desaceleração da Samsung, atual líder de mercado em 2020. Ainda assim, durante o último ano a Xiaomi conseguiu crescer, com a Oppo a seguir-lhe o exemplo, ao passo que a Huawei contraiu.

Na totalidade, vemos que o mercado europeu de smartphones caiu 14% no volume de telefones vendidos. Foi um dos piores anos para a indústria, com a quebra provocada pelo impacto da pandemia da COVID-19 na economia europeia.

Constata-se que tanto a Samsung como a Apple conseguiram manter-se no topo, mas não conseguiram aproveitar o vazio deixado pela Huawei. Em 2020, a quota de mercado europeu da Samsung e Apple combinadas situa-se nos 54%.

A Apple só viria a recuperar o fôlego com o lançamento da gama iPhone 12 nos últimos meses de 2020, uma linha de produtos muito bem recebida e que estancou a derrapagem da marca para 1%. A Samsung viu a sua quota de mercado a cair 12%.

A Xiaomi e a Oppo capitalizaram com a queda da Huawei

Xiaomi Mi 11

Entre as fabricantes emergentes é a Xiaomi quem leva o troféu. Foi esta a fabricante que mais capitalizou com a quebra de vendas da Huawei, tornando-se na terceira maior fabricante na Europa. As vendas foram particularmente boas em Espanha e na Itália.

Ainda de acordo com os dados da Counterpoint Research, a Huawei registou uma quebra de 43% no volume de vendas anual, passando de 19% de quota de mercado em 2019 para 12% em 2020. Os dados figuram na tabela acima.

Destacamos também o rápido crescimento da Oppo na Europa. A fabricante pertence ao conglomerado BBK Eletronics, tal como a OnePlus e Realme, mas foi a Oppo quem mais cresceu no nosso mercado. A tendência deverá manter-se em 2021.

À Oppo segue-se a OnePlus, fabricante mais dedicada aos dispositivos premium e a Realme, empresa especializada nos smartphones acessíveis. Ambas têm boas perspetivas de crescimento neste novo ano.

Por fim, apontamos à Samsung um dos lançamentos mais fortes dos últimos anos com a geração Galaxy S21. O mesmo pode ser dito da Apple com a gama iPhone 12, com forte adesão.

A Huawei, contudo, não deverá encontrar a solução dos seus problemas em 2021.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.