Xiaomi continua a bloquear smartphones Android nestas regiões, cuidado!

Rui Bacelar
Comentar

A Xiaomi é atualmente a segunda maior fabricante mundial de dispositivos móveis como tablets e smartphones Android. O seu crescimento é inegável, sendo cada vez mais acompanhado de uma preocupação com a experiência de utilização dos seus equipamentos. Para tal, a fabricante tem elevado os requisitos de qualidade em todos os mercados onde está presente.

Nos demais mercados, contudo, a fabricante liderada por Lei Jun toma medidas cada vez mais restritivas. Em causa estão os países em que a Xiaomi não tem uma presença oficial como, por exemplo, os Estados Unidos da América, mas para os quais é possível importar os seus telefones e demais produtos.

A Xiaomi começou a bloquear smartphones importados indevidamente

Xiaomi smartphones Android

Note-se ainda que o simples facto de a Xiaomi não ter presença oficial num país não impede os seus equipamentos de funcionar na perfeição. Aliás, nem de aceder às redes móveis locais, entre outros quesitos. Isto, claro, até que recentemente a Xiaomi começou a bloquear estes dispositivos móveis, tal como demos a conhecer na 4gnews.

A razão para tal prende com a política de exportações da Xiaomi que proíbe a venda de smartphones em alguns países e regiões. No entanto, até ao momento a fabricante não impedia a ativação e registo desses mesmos equipamentos até há pouco tempo. Entretanto, a medida foi rotulada de temporária, mas de acordo com os novos relatos, o bloqueio será para manter.

Importa notar que o bloqueio só afeta 5 países / regiões, a saber:

  • Cuba
  • Irão
  • Síria
  • Coreia do Norte
  • Sudão
  • Região da Crimeia

Segundo os relatos de vários utilizadores, publicados em plataformas como o Reddit e Facebook, os bloqueios são cada vez mais comuns nas áreas visadas. A prática aumentou em escala e intensidade durante a última semana e, ficamos agora a saber, será para manter, assumindo um cariz permanente.

O bloqueio passa de temporário a definitivo em 5 países / regiões

For the past few weeks, Xiaomi has been proactively blocking users from provisioning their phones if they live in Cuba, Iran, Syria, North Korea, Sudan, or Crimea, in order to comply with export regulations and stop resellers. https://t.co/51AdXIMgnW

— Mishaal Rahman (@MishaalRahman) 9 de setembro de 2021

Os utilizadores afetados ficam impossibilitados de utilizar os respetivos dispositivos móveis. Tal como podemos ver pela publicação acima, no Twitter, a medida assume um cariz definitivo nas regiões em que é aplicada.

Mais concretamente, no ecrã dos smartphones é exibida a seguinte mensagem:

"Xiaomi policy does not permit sale or provision of the product to the territory in which you have attempted to activate it. Please contact the retailers directly for additional information."

Importa notar que este bloqueio não afeta dispositivos que estejam a usar firmware que não o oficial. Por exemplo, caso tenham instalado uma ROM alternativa, esta medida já não afetará os dispositivos móveis nos países e regiões visadas.

Nada fazia prever o bloqueio efetivo dos smartphones Xiaomi

Por outro lado, apesar de a Xiaomi indicar expressamente que para determinadas zonas e países as exportações são proibidas, em lugar algum afirma que bloqueará os smartphones. Tal medida, como seria de esperar, está a revoltar alguns utilizadores.

Por fim, agora que esta medida assume um caráter definitivo, em breve a fabricante poderá ser obrigada a aclarar toda esta situação e prática associada. Entretanto, podem consultar os Termos e Condições da Xiaomi, sendo particularmente relevante o ponto 14.2.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.