xiaomi-logo

Tendo há pouco tempo consolidado a liderança do mercado de smartphones na China,a Xiaomi afirmou que detém o terceiro  lugar  como maior fabricante de smartphones do mundo, de acordo com pesquisa de mercado IHS iSuppli.

A empresa vendeu 19 milhões de smartphones no terceiro trimestre deste ano, a grande maioria dos quais foram vendidos no seu mercado local, a China. No segundo trimestre do ano Xiaomi conseguiu vender 15,1 milhões de smartphones, 14,6 dos quais foram vendidos na China, de acordo com a Strategy Analytics. Isto sugere um quarto trimestre em crescimento de vendas de 26 por cento, o que é realmente muito alto. A sua rival Huawei, que ficou em terceiro lugar no ano passado, conseguiu 16,8 milhões de vendas de smartphones no terceiro trimestre.

   

Olhando para as vendas a longo prazo da Xiaomi,pode ver-se o quão repentina foi a sua ascensão ao topo.

Xiaomi-Q3-2014-smartphone-sales-710x443

Este surto de crescimento é bastante notável para uma empresa que só foi criada há quatro anos. O crescimento da empresa tem sido quase sempre liderado pela explosão da indústria do smartphone chinês e elevada procura  local, mas não é provável que esta tendência continue para sempre.

Recentemente, a Xiaomi vem tentando expandir-se para além do seu nuclear mercado chinês, com a venda de smartphones em Singapura, Hong Kong, e mais recentemente também na Índia. O vice-presidente Hugo Barra anunciou recentemente que a empresa estava a criar novos centros de dados ao redor do mundo para melhor atingir os consumidores fora da China.

A  Xiaomi ainda não divulgou nenhuns resultados de venda ou de lucro próprios , seja anual ou trimestral, por isso é difícil dizer exactamente quanto a empresa está a facturar a partir deste enorme crescimento nas vendas. Apesar do baixo preço de seus aparelhos, o grande volume de clientes permite a abundância de dinheiro em carteira para futuros investimentos e expansão.

Teremos que esperar e ver o quão ambiciosa a Xiaomi é, e se a empresa pode-se tornar numa marca de referência igualmente fora da China, ao longo dos próximos anos.

Fonte/Via

Quando não está a escrever um artigo ou a gravar algum vídeo, o Bacelar tem por hábito saborear um bom livro, descobrir novas bandas sonoras ou simplesmente desfrutar do sol, na companhia de quem mais gosta (MM).