WhatsApp
WhatsApp voltará a cair…

Esta semana ficou marcada pela queda, ainda que momentânea, do serviço WhatsApp. Aquela que muito provavelmente é a aplicação de mensagens e comunicações mais popular do mundo ficou offline por várias vezes na passada semana, ainda que por curtos espaços de tempo que não chegaram a causar tanta comoção como o incidente do passado dia 3 de abril. Contudo, preparem-se para mais quedas…

Vê ainda: Asus Zenfone 3 – decepcionante após 6 meses de uso

WhatsApp é utilizado por milhões de pessoas diariamente e qualquer queda, ainda que pequena, causará transtornos aos seus utilizadores e as recentes quedas lançaram o pânico um pouco por todo o mundo. Portugal, Brasil e Espanha foram particularmente afetados mas, longe de ser caso único, o evento fez-se sentir por todo o globo, tal como conforma o site Down Detector.

   

Foram pequenas, e uma grande queda, do serviço durante esta semana mas, o que realmente importa averiguar é a causa, o porquê destas quedas e não só o impacto ou o pânico que estas causaram. Até à data nem o WhatsApp nem o Facebook seu dono, revelaram qualquer informação quanto ao que terá causado estas quedas no serviço. Então…

Porque caiu o WhatsApp?

WhatsApp
O WhatsApp foi lançado em 2008

A resposta simples? Manutenção e/ou modificações nos seus servidores. Contudo isto por si só não explicaria a escala global destes apagões. Segundo os dados da própria WhatsApp, por mês existem mais de mil milhões de utilizadores ativos, são partilhadas mais de 1.6 mil milhões de fotos por dia e enviadas mais de 42 mil milhões de mensagens. É evidente que são necessários uns ótimos servidores para gerir todo este tráfego em tempo real.

Note-se que já em 2014 e mesmo em 2013 aconteceu algo muito semelhante quando o Facebook comprou o WhatsApp, coincidindo com uma das piores alturas (a nível de utilizadores) desde que o serviço foi lançado em 2008. Hoje, os peritos da WABetaInfo afirmam que o WhatsApp está prestes a sofrer uma mudança revolucionária, em breve. Por muito vagas que sejam estas palavras há aqui uma mensagem subliminar a ser retirada.

Tendo em conta a sua dimensão, o WhatsApp possui milhões de “pontes” entre os seus servidores e cada manutenção, cada substituição ou migração de servidores pode causar uma reação em cadeia. Isto explicaria a escala mundial dos últimos apagões desta semana. Portanto, será de esperar novas quedas no serviço mas será tudo em nome do progresso.

Outra das explicações seriam os picos de utilização. Alturas em que nem mesmo os poderosos servidores do WhatsApp conseguem lidar com tanta informação em simultâneo. Pior ainda, quando o serviço volta a ficar online terá que lidar, logo, com todos os milhões de mensagens que ficaram à espera de ser enviados.

O WhatsApp voltará a cair

Caso o WhatsApp esteja efetivamente a pensar implementar novas funcionalidades “revolucionárias”, teria que atualizar toda a arquitectura do seu serviço e realizar migrações de servidores para uns mais capazes de gerir o tráfego cada vez maior. Apesar de não sabermos no que constam estas “mudanças revolucionárias”, isto explicaria as quedas do serviço.

Tendo em conta crescimento contínuo deste serviço e os milhões de utilizadores que vai ganhando com o passar dos dias seria irrisório não pensar em aumentar e remodelar os servidores. Apesar da empresa lançar atualizações com frequência para a sua aplicação para Android, iOS e PC, é normal e expectável que o WhatsApp volte a cair. Resta saber o quando, como e durante quanto tempo é que os seus serviços ficarão offline desta vez.

Tal como refere o site Elconfidencialtendo em conta o elevado número de utilizadores que, diariamente, usam e confiam nos serviços do WhatsApp para efetuar as suas comunicações, a tarefa de criar um sistema estável, capaz de aguentar os picos de utilização e as atualizações que necessitam de ser efetuadas, será muito difícil não termos mais quedas no serviço.

Este problema poderá ser tão mais frequente à medida que o WhatsApp continue a crescer, pelo menos até que a próxima revolução da computação ocorra, algo que pode demorar entre 5 a 10 anos. Portanto já sabes, conta com mais algumas quedas no serviço mas não desesperes, faz parte das melhorias e evolução de toda a plataforma de comunicação.

E tu, costumas utilizar o WhatsApp ou algum dos serviços equivalentes como o Telegram?

Outros assuntos relevantes:

Samsung Galaxy J7 2017 vê as suas especificações serem reveladas

Samsung Galaxy Note 7R: Imagens confirmam Nougat e bateria mais pequena

Apple domina o mercado dos wearables com a Xiaomi logo a seguir

Viaelconfidencial
FonteWABetaInfo
Quando não está a escrever um artigo ou a gravar algum vídeo, o Bacelar tem por hábito saborear um bom livro, descobrir novas bandas sonoras ou simplesmente desfrutar do sol, na companhia de quem mais gosta (MM).