whatsapp_web

 

Novo relatório concluído pela organização sem fins lucrativos, Electronic Frontier Foundation, cujo objetivo declarado é proteger os direitos de liberdade de expressão, procura saber todos os anos, se há acesso aos dados dos usuários por parte do governo.

   

As empresas questionadas este ano 2015 foram a Adobe, Amazon, Apple, AT&T, Comcast, CREDO Mobile, Dropbox, Facebook, Google, LinkedIn, Microsoft, Pinterest, Reddit, Slack, Snapchat, Sonic, Tumblr, Twitter, Verizon, WhatsApp, Wickr, Wikimedia, WordPress.com e Yahoo.

As 24 empresas foram avaliadas em função de cinco critérios, incluindo se eles exigem um mandato de governo para a entrega de conteúdo, se eles publicam relatórios de transparência e se informam aos usuários sobre os pedidos de dados do governo.

A cada ano as melhorias na proteção de dados dos utilizadores, têm vindo a aumentar, mas segundo a Electronic Frontier Foundation, ainda há muito por melhorar. A mesma afirma que a há empresas que nunca protegeram as informações tão bem como hoje.

Aparentemente o prior grupo é o WhatsApp, mesmo pertencendo ao Facebook e tendo o período de um ano de preparação para este teste, o serviço apenas cumpre uma das normas de “melhores práticas”.

Por exemplo, WhatsApp não promete oferecer aviso prévio dos utilizadores sobre demandas de dados, nem exige publicamente um mandado antes de dar informações às autoridades.

Mas há quem se destaque pela positiva, de acordo com o relatório a Adobe, Apple, CREDO Mobile, Dropbox, Wikimedia, WordPress.com e Yahoo, são as que cumprem todos os critérios.

Tens acesso ao relatório completo aqui, que incluí uma série de links para os relatórios das empresas e guias de transparência.

Talvez queiras ver: