viber

Chegou a vez do Viber se juntar ao Signal (certamente) e ao WhatsApp (não tão certamente) e anunciar a implementação da encriptação end-to-end (E2EE) no trânsito das suas mensagens.

Vê ainda: WhatsApp implementa encriptação, mas cuidado pode não ser tão seguro assim

   

Uma coisa é certa: se há algo de positivo que se pode retirar da polémica entre o Uncle Sam e a empresa de Cupertino, apesar de toda a histeria em volta do caso, é que as empresas não querem passar a ideia de insegurança e, contrariamente ao que o as organizações governamentais poderiam esperar, ao invés de cederem, os actores tecnológicos estão determinados a informar os utilizadores e o Mundo que estão a reforçar os seus parâmetros de privacidade e de segurança.

Quanto ao Viber: para além das mensagens normais as mensagens em grupos também terão o mesmo tipo de encriptação. Mais ainda, será adicionada a funcionalidade de esconder certas conversas da inbox; conversas essas que só estarão acessíveis através da introdução de um PIN previamente escolhido pelo utilizador.

Resta agora saber 1) qual será o protocolo de encriptação; 2) se será open source e 3) como será feita a implementação de tudo isto. Estes três factores são determinantes para saber se vale a pena confiar no Viber pós-E2EE; ou não…

Talvez queiras ver: