Utilizadores priorizam atualizações atempadas a um novo smartphone

Carlos Oliveira
smartphone
Um smartphone parece durar cada vez mais nas mãos dos utilizadores

Dada a atual evolução do mercado, comprar um smartphone topo de gama todos anos começa a não estar ao alcance de qualquer um. De ano para ano os equipamentos têm aumentado cada vez mais o seu valor de venda, tendo 2017 ultrapassado uma barreira que poucos esperariam que acontecesse, a barreira dos 1000€.

Vê ainda: Xiaomi Mi Mix 3 – Poderá o Apple iPhone X ser a sua inspiração?

Smartphones como o Apple iPhone X ou o Samsung Galaxy Note 8 catapultaram os preços de venda para os quatro dígitos e isso desinibirá outras marcas a seguirem o mesmo caminho. Claro que existem propostas bem mais em conta, de gama inferiores, mas aquele bichinho consumista presente no ser humano poderá relegar isso para segundo plano.

Mas será que as coisas ainda são mesmo assim? Não terá a mentalidade do ser humano mudado face a estes acontecimentos? Se foi a escalada de preços que nos levou aqui não sabemos, mas o certo é que um novo estudo afirma que os consumidores valorizam cada vez mais as atualizações à compra de um novo smartphone.

Quem o diz é Jan Dawson, fundador e analista-chefe da Jackdaw Research. Para este senhor, começa a ser cada vez mais comum vermos pessoas com smartphones com quatro a cinco anos de existência.

Os utilizadores preocupam-se cada vez mais com as atualizações para o seu smartphone

Essas pessoas parecem estar cada vez menos preocupadas com a idade do seu equipamento desde que este receba novas atualizações de software por parte das marcas. Aliás, cada vez mais notamos que o período de atualizações é levado em conta na hora de adquirir um novo equipamento.

Mas até que ponto esta mudança de mentalidades é benéfica para as empresas que se dedicam ao fabrico e comercialização de smartphones? Obviamente que as mesmas não têm grande interesse neste paradigma. Uma empresa é sempre construída com o intuito de dar lucro e quanto menos produtos comercializar, menor será esse lucro.

Mas atenção que não quero, de forma alguma, defender que a fragmentação que vemos, em especial, no mercado Android se deve a este tipo de pensamento por parte das marcas. Aliás, eu defendo que o pensamento deve ser precisamente o oposto. Se uma marca atualizar os seus equipamentos celeremente, maiores serão as probabilidade de captar novos clientes no futuro.

No entanto, há algo que poderá influenciar esta mudança de mentalidades. Para Chetan Sharma, CEO da Chetan Sharma Consulting, equipamentos com grandes novidades oriundos de marcas como a Apple poderão reverter esta mudança de atitudes.

iPhone X: um dos mais revolucionários e mais caros smartphones do mercado

Produtos como o iPhone X ou o Galaxy S8, portadores de grandes novidades tanto ao nível de design como de funcionalidades, serão um grande chamariz. Quando uma marca inova consideravelmente entre gerações, os utilizadores poderão sentir-se mais impelidos a comprar esse mesmo produto.

Alegadamente, marcas como a Apple ou a Samsung terão já dado conta do facto de os utilizadores utilizarem o mesmo smartphone por mais tempo. Desta forma, vemos já algumas empresas a elaborarem novos programas que proporcionem aos consumidores a possibilidade de trocarem um modelo antigo por um novo, com um preço mais apelativo.

Este é um tema bastante pertinente tendo em conta quer a escalada recente dos preços dos smartphones, quer pela cada vez maior capacidade de processamento dos mesmos.

Até que ponto se justificará trocar de smartphone de ano para ano? Quanto tempo de uso normalmente dás a um smartphone? Deixa-nos as tuas opiniões relativamente a esta temática, abaixo nos comentários.

Assuntos relevantes na 4gnews:

Android Oreo 8.1 começa a ser distribuído pelo Android Beta Program

Pai do Android voltou para a liderança da Essential

Amazon Music Unlimited – Serviço chega agora a Portugal

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.