InUse2-e1404963403648

“Clique para enviar email” Mas eu sou algum homem das cavernas? ” Olhe para aqui, pestaneje para tirar uma foto” Hum…dá demasiado trabalho. Tire uma foto e publique no Twitter, bastando pensar nisso. Ora assim está melhor!


A Google e uma agência londrina de design, a This Place, disponibilizaram o source-code ou código fonte via GitHub para todos os utilizadores de Google Glass, permitindo-lhes controlar o dispositivo com a mente. Este conceito inovador, chamado mindRDR, um trocadilho para mindreader, deixa que os utilizadores usem a aplicação e um biosensor, Neurosky EEG, podendo partilhar fotos no Twitter com apenas a força do pensamento.

   

 A equipa da This Place optou por um modesto início, só para apalpar terreno e ver como seria utilizar o Google Glass, baseando-se nas ondas cerebrais. Este conceito funciona com a contracção e relaxamento das ondas no cérebro, tipo On/Off, alto e baixo. Ao medir estes picos e depressões, com o auxílio da aplicação, o Google Glass irá desempenhar a tarefa para a qual foi programado. Neste caso, tirar uma foto e postar no Twitter quando registe um destes picos.

De momento só desempenha mesmo uma acção, caso verifique um pico na onda seguido de uma depressão (tensão/relaxamento) irá desencadear aquele comportamento. Ainda é muito cedo para fazer mais do que isto.

Chloe Kirton, a directora de criatividade na This Place, confirma que ainda há muito espaço para crescimento. No futuro, o software será desenvolvido e programado para identificar todos os 18 sentidos, que foram mapeados, do cérebro humano até à data. Já seriam 18 acções desencadeadas apenas com o nosso pensamento,  nada mau!

Para já ainda é mesmo uma versão piloto, algo chata de utilizar correctamente. Primeiro, tem que estar a usar os Google Glasses, depois, um neuro-scanner na cabeça. Em seguida, quando a aplicação mindRDR está a funcionar, uma simples linha aparece no ecrã do Google Glass. Esta linha move-se para cima quando se está concentrado e para baixo quando se está relaxado. Concentre-se para tirar uma foto, concentre-se para a postar no Twitter ou no Facebook.

Imaginem uma máquina fotográfica com sensor ou detector de sorrisos. Quando faz um sorriso forçado para a câmara, ela reconhece os seus dentes e dispara, tirando uma foto. Acção-Reacção. O princípio funcional é este.

 Obviamente esta tecnologia ainda necessita de anos de investigação e aperfeiçoamento, mas poderá sem muito útil para quem tenha dificuldades motoras. Para já, como se não bastasse andar com aqueles óculos, ter um scanner na cabeça, seria algo….caricato.


Espero que gostem e, como sempre, comentem e partilhem!

fonte

Quando não está a escrever um artigo ou a gravar algum vídeo, o Bacelar tem por hábito saborear um bom livro, descobrir novas bandas sonoras ou simplesmente desfrutar do sol, na companhia de quem mais gosta (MM).