Twitter entra na corrida para comprar o TikTok! Será que terá hipóteses contra a Microsoft?

Filipe Alves
Comentar

Ao que parece o Twitter entrou numa corrida para a compra da rede social TikTok. Ou pelo menos parte dela. Tal como o negócio que está em cima da mesa com a Microsoft, o objetivo passa pela compra dos departamentos dos EUA, Nova Zelândia, Austrália e Canadá.

A rede social TikTok está numa situação ingrata. Depois do ataque direto de Donald Trump, Presidente dos EUA, à Huawei, é a vez do TikTok e da aplicação de mensagens WeChat sofrerem as suas decisões.

TikTok terá de se decidir até meados de setembro

Twitter comprar TikTok

Donald Trump foi claro na sua ordem executiva. A ByteDance, dona do TikTok, tem até meados de setembro para vender os seus serviços nos países acima para uma outra empresa, ou então a aplicação será banida dos Estados Unidos da América.

A ByteDance já respondeu a indicar que é uma decisão injusta e sem fundamento. Aliás, a empresa chegou mesmo a dizer que está pronta para desafiar o governo americano e rumores apontam que o TikTok pretende processar a Casa Branca já na segunda feira.

Porém, não há muito que possa ser feito. A ordem executiva foi assinada e a solução passa mesmo por vender os departamentos a uma empresa em que o governo norte-americano se sinta mais "seguro".

Microsoft tem mais capacidade de compra que o Twitter

A Microsoft é claramente a empresa com mais capacidade de compra. O Twitter, que no passado chegou mesmo a comprar a rede social Periscope para a incorporar na sua rede social, não deverá conseguir a mesma proeza do passado.

Isto se a decisão for apenas dinheiro. A Microsoft é uma empresa seriamente maior que o Twitter e não há forma do Twitter combater com os possíveis números da Microsoft.

Esta é uma novela que está longe de estar resolvida. Veremos no que isto dá.

Editores 4gnews recomendam:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.