Tesla: carros elétricos com Autopilot ativo são até 10x mais seguros

Rui Bacelar
Comentar

Elon Musk afirma que os carros elétricos da Tesla com o sistema Autopilot ativo são até 10x mais seguros que o veículo comum. As declarações do CEO foram feitas através do seu perfil na rede social Twitter, sustentando-se nos relatórios e pesquisas internas.

Musk baseia-se na recolha de dados feita deste 2018 com o intuito de criar uma base de dados passível de estudo onde se apuram os comportamentos, taxa de sucesso e outras métricas relacionadas com o sistema de condução autónoma da empresa.

Autopilot diminiu até 10x o risco de acidente entre automóveis

Tesla with Autopilot engaged now approaching 10 times lower chance of accident than average vehicle https://t.co/6lGy52wVhC

— Elon Musk (@elonmusk) 17 de abril de 2021

A base factual apontada por Elon Musk compara o número de quilómetros (milhas nos EUA) com a ocorrência de acidentes rodoviários envolvendo automóveis com o sistema Autopilot ativo vs Autopilot desativado. Os resultados são significativos.

Com efeito, pode ler-se no relatório de segurança da Tesla alusivo ao primeiro trimestre de 2021 (de janeiro a março), o seguinte:

"No primeiro trimestre, registamos um acidente por cada 4,19 milhões de milhas (6,74 milhões de quilómetros) percorridos por condutores com o sistema Autopilot ativado. Nos condutores sem o Autopilot ativo, mas com as funções de segurança ativas, registamos um acidente por cada 2,05 milhões de milhas (3,30 milhões de quilómetros). Para os condutores sem o sistema Autopilot ativo nem as nossas opções de segurança, registamos um acidente por cada 978 mil milhas percorridas".

Evidenciam-se as vantagens do sistema de condução autónoma da Tesla

Tesla Autopilot

As métricas colhidas pela Tesla permitiram-lhe agora divulgar estas cifras e indicadores que deixam clara a menor incidência de sinistros com o Autopilot ativado. Aliás, mesmo "apenas" com as funções de segurança, a taxa de acidentes é reduzida.

É um claro testemunho da maior incidência de sinistralidade conforme aumenta o controlo humano e respetiva propensão para o erro ocasional. Ainda assim, são indicadores que os críticos apontam como não viáveis - nos chavões apontados - face à grande diferença entre o número de carros elétricos da Tesla e os demais veículos em circulação.

O erro humano vs carros elétricos autónomos da Tesla

Mesmo que o número de carros da Tesla seja uma fração reduzida de todos os veículos em circulação nos EUA, relevam sobretudo as métricas apontadas para os diferentes comportamentos e cenários de condução entre veículos da Tesla.

Sublinhamos que mesmo os piores números apresentados no relatório da Tesla estão bem acima da média norte-americana, tal como a aponta a NHTSA nos Estados Unidos - 1 acidente por cada 484 mil milhas percorridas (779 mil quilómetros).

Podemos, por fim, constatar que há reais vantagens na utilização do Full Self-Driving da Tesla como solução mais segura que os condutores humanos.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.