Smartphones: Xiaomi ultrapassa a Apple e é agora terceira a nível mundial

Filipe Alves
Comentar

Já há muito que antecipávamos o crescimento da Xiaomi. Por sua vez, a Apple tem mostrado que quer continuar relevante no mercado ao oferecer mais smartphones por um preço convidativos. Exemplo disso é o modelo SE.

Contudo, a Xiaomi ataca dois mercados que a Apple não consegue combater. Curiosamente os dois maiores do mundo. A China e a Índia. Onde os terminais de entrada e gama média tem mais relevância.

Xiaomi ultrapassou a Apple pela primeira vez na venda de smartphones

smartphones Xiaomi e Apple

Segundo os analistas da IDC e CounterPoint, esta é a primeira vez que a Xiaomi ultrapassa a Apple na venda de smartphones. De acordo os análises da Counter Point, a Xiaomi vendeu neste terceiro trimestre de 2020, 46,2 milhões de smartphones. Isto significa um bruto crescimento de 46% face ao ano passado.

Por sua vez, a Apple vendeu apenas 41,7 milhões de unidades. Para ser mais concreto, com uma queda de 7% nas vendas. Ou seja, nem o iPhone SE os safou.

Xiaomi

Ainda assim, estas análises foram concluídas antes do lançamento dos novos iPhone 12. Ou seja, é possível que vejamos a Apple a subir nas vendas no final deste ano.

Samsung e Huawei lideram

Xiaomi smarpthones Apple

A Samsung continuam em primeiro lugar com 79,8 milhões de unidades vendidas neste terceiro trimestre. A Huawei está em segundo com 50,9 milhões. Uma queda acentuada e que cada vez mais vê a Xiaomi perto a alcança-la.

Temos ainda de dar destaque à Realme que teve um crescimento de 45% e passou de 10 milhões de unidades vendidas em 2019 para 14,8 milhões em 2020.

Antes de ires, descobre os produtos diferentes da Xiaomi, são vários itens que vão surpreender. Além disso, vê os melhores gadgets Xiaomi que podes comprar, com soluções para diversas necessidades.

Editores 4gnews recomendam:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.