Primeiro smartphone com ecrã de diamante poderá chegar em 2019

Carlos Oliveira
smartphone diamante
Um smartphone com ecrã de diamante? Que tal?

De ano para ano existe uma tendência não só de aumentar a potência de qualquer smartphone mas também a sua resistência. Afinal de contas, ninguém quer ver o seu investimento arruinado com uma simples queda acidental do nosso bolso ou da mesa. Já no que concerne especificamente ao ecrã do nosso smartphone, o mesmo poderá passar a ser revestido de diamante já a partir do próximo ano.

O medo em termos de resistência do ecrã do nosso equipamento vai para além de uma possível quebra. Certamente que não gostarias de andar com um smartphone cujo ecrã estivesse totalmente arranhado. Não só a tua experiência com o mesmo seria diferente, como a sua estética perderia influência.

Vê ainda: 40 aplicações gratuitas na Google Play Store para o teu Android

Atualmente todos os equipamentos vêm com ecrãs revestidos pela tecnologia Corning Gorilla Glass. Este tipo de vidro faz com que os ecrãs dos nossos equipamento sejam cada vez mais resistentes em ambos os cenários anteriormente descritos. De ano para ano, são cada vez mais resistentes e difíceis de arranhar.

Porém, já não é a primeira vez que se olha para o diamante como potencial material de construção para este componente. Para além de constituir uma das jóias mais caras do mundo, é também o material mais resistente à face da terra. Não há outro material que o consiga riscar a não ser ele próprio.

Pois bem, depois de toda a idealização, um produto final poderá estar para chegar. O primeiro smartphone com ecrã de diamante poderá ser desvendado já em 2019 com a tecnologia a ser desenvolvida pela empresa Akhan Semicondutor. A tecnologia que a empresa estará a desenvolver dar-nos-á, alegadamente, ecrãs seis vezes mais forte e dez vezes mais resistentes.

Smartphone com ecrã de diamante poderá ser uma das novidades de 2019

Por enquanto conhecida como Mirage Diamond Glass, esta tecnologia utiliza diamantes minerados em laboratório. Estes utilizam um padrão nanocristal que irá reduzir a tendência de quebra desses ecrãs. Para aumentar ainda mais a sua resistência, estes poderão ser utilizados conjuntamente com os vidros Gorilla Glass.

Segundo aquilo que a CNET avança hoje, a Akahn está a trabalhar para garantir que este novo tipo de ecrã funcione como pretendido. Para que os mesmos possam interagir devidamente com o utilizador e ainda para reduzir a sua reflexão quando expostos à luz.

Ao que tudo indica, a Akhan Semicondutor irá, num primeiro momento, trabalhar apenas com uma empresa. Decisão totalmente compreensível dada a prematuridade desta tecnologia no mercado e possíveis problemas de produção. Mais ainda, isto dará a essa OEM a possibilidade de "se gabar" por ser a primeira a oferecer tal tecnologia.

Mas segundo aquilo que a CNET já referiu no passado, a eleita poderá não ser uma das grandes do mercado. Marcas como a Samsung, Apple, Huawei ou mesmo a Xiaomi poderão ficar de fora num primeiro momento.

Mas nem só de vantagens viverá esta tecnologia. Temos de ter em mente que, nos seus primórdios, esta será uma tecnologia algo cara. Ainda não sabemos quanto é que a mesma poderá inflacionar os custos de produção de um smartphone, mas será que tal valor compensará?

A ser tudo isto verdade, é ainda muito cedo para vermos ecrãs de diamante no mercado. Até 2019 há ainda muito tempo a percorrer e certamente que voltaremos a falar deste assunto.

Assuntos relevantes na 4gnews:

OnePlus 5T Vermelho Lava: Edição limitada deste Android chega à Europa

Wiko prepara-se para apresentar mais smartphones Android na MWC

Xiaomi Mi 7 – A pista que faltava relativamente ao carregamento sem fios

Fonte | Via

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.